Recuperação da ponte e da rodovia: parceria entre Agesul e prefeitura de Itaporã.(Foto: Walter Ramos)

A  Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de MS (Agesul) recuperou a ponte de madeira sobre o Córrego Sardinha, na rodovia MS-270, em Itaporã, município que integra a região da Grande Dourados. A estrutura da travessia foi avariada devido à forte correnteza do córrego após o temporal que caiu na localidade, no último dia 12, com o registro de 170 milímetros de chuva.

O chefe da residência da Agesul em Dourados, Cláudio Eduardo de Lima, explicou que a ponte, que liga Itaporã a Maracaju, sofreu um deslocamento, devido ao transbordamento do córrego, e foi interditada por falta de segurança. A reconstrução de parte da estrutura foi executada em caráter emergencial, atendendo aos moradores e produtores rurais das comunidades de Peroba e Tatuí e do distrito de Itahum.

O acesso pelo córrego é essencial também para escoamento da produção local e passagem dos veículos que realizam a coleta de resíduos sólidos na cidade de Itaporã, e necessitam se deslocar até o transbordo para dar destino as suas cargas. A força da correnteza causada pelo temporal também causou prejuízos aos produtores, que perderam vários animais, entre bovinos e suínos, durante o transbordamento.

O prefeito de Itaporã, Marcos Pacco, informou que a parceria da Agesul foi fundamental para restaurar a ponte, que é de extrema importância para o setor agropecuário. Ele agradeceu ao governador Reinaldo Azambuja pela ação rápida visando liberar o tráfego na MS-270. “Levamos ao governador o pedido para construção de uma ponte de concreto sobre o córrego e temos certeza que seremos atendidos”, disse.

Além da ponte sobre o Córrego Sardinha, o temporal danificou outras passagens de madeiras localizadas em estradas vicinais, segundo o prefeito. A prefeitura recuperou ao menos três pontes, além dos acessos às propriedades rurais. “O primeiro impacto dessa chuva já foi superado, graças ao apoio que recebemos do Governo do Estado para que pudéssemos sanar estes prejuízos”, disse o Marcos Pacco.

Texto: 

Fotos: Walter Ramos/Prefeitura de Itaporã