Foto – Divulgação

Uma investigação da Denar, a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico em conjunto com a Defron – Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira resultou na prisão de quatro pessoas e quase meia tonelada de maconha apreendida em Campo Grande.

A droga estava armazenada em uma residência no Bairo Nova Lima na capital e seria despachada via aérea dentro de caixas metálicas lacradas através de solda.

O local estava sendo monitorado a cerca de 15 dias, ontem (15) ao vistarem dois homens chegando na casa com uma grande caixa de metal, os policiais fizeram a abordagem. Já havia duas mulheres no interior da casa.

Na sala da residência foram encontrados 100 quilos de maconha em tabletes e duas caixas de metal soldadas. Ao abrir as caixas com ajuda de maquinário, foram encontrados mais 100 quilos de droga em cada uma, além de varias porções de outros entorpecentes espalhados pela casa.

Segundo o delegado Hoffman D’Ávila, da Denar, os quatro presos eram comandados por um morador na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, que mantinha contato com um interno do Presídio de Segurança Máxima, de Campo Grande.

Era justamente o presidiário quem orientava os comparsas onde deveriam pegar a droga e para onde despachariam. O carregamento apreendido seria enviado para Blumenau e Recife.

A polícia investiga ainda se há envolvimento de algum funcionário do aeroporto de Campo Grande, pois as caixas além de pesadas em balança passavam por Raio-X e não havia nenhuma proteção especial que pudesse ocultar os tabletes.

As pessoas presas já tinham passagem por tráfico de drogas e dois cumpriam pena pelo mesmo crime em liberdade. Para fazer a droga chegar ao destino os quatro contaram que receberiam R$ 7 mil.

A polícia agora procura o soldador que prestou serviço ao bando, assim como um motorista de aplicativo.