Atividades foram realizadas com funcionários do frigorífico. (Foto: Assessoria)

Em uma série de atividades voltadas para a conscientização dos cuidados com a saúde do trabalhador, os acadêmicos do 6° semestre de Fisioterapia da UNIGRAN fizeram uma visita técnica no frigorífico da JBS em Caarapó, que produz frangos para exportação a países de religião muçulmana. São cerca de 125 mil frangos abatidos por dia. Sob a orientação do professor Alex Basílio, foi realizada a visita aos setores de produção e orientações sobre a ergonomia de produção.

A ação faz parte do Projeto de Fisioterapia Laboral, na disciplina de Fisioterapia do Trabalho. O objetivo da visita foi colocar em prática ações discutidas nas aulas, com a oportunidade de ver e desenvolver atividades dentro da área da saúde ocupacional e ergonomia com os funcionários do frigorífico, conforme o professor Alex.

O convite para fazer a visita técnica e aplicar uma das práticas dos estudantes com os funcionários veio através do Departamento de Fisioterapia e Saúde do Trabalho da JBS.  Basílio comenta que é fundamental e exigida por lei a presença do fisioterapeuta do trabalho em um ambiente como este visitado. “É uma área que ainda está em crescimento em Dourados e região e que precisa ser exposta tanto para as empresas como para os acadêmicos”, enfatiza.

Para a acadêmica de Fisioterapia da UNIGRAN, Elaine Kakuta, a atividade foi extremamente importante para agregar conhecimentos. “Tendo em vista que em grandes empresas, onde o fluxo de funcionários é intenso, a ergonomia é fundamental para prevenção de doenças ocupacionais. Assim sendo, durante a visita podemos observar como essas grandes empresas trabalham a favor do bem-estar de seus funcionários e na melhoria da qualidade de vida diária”, menciona.

O ponto de destaque da visita, conforme a estudante, foi a equipe multidisciplinar que acompanha todos os funcionários da empresa. Elaine cita os cuidados e a prevenção necessária para que haja a diminuição de afastamentos por doenças ocupacionais, assim como as pausas ergonômicas e equipamentos adequados aos trabalhadores e os atendimentos necessários para os funcionários.

A acadêmica afirma que projetos de extensão, em que o aluno vivencia e participa, são essenciais para a formação acadêmica. “Os conhecimentos adquiridos e colocados em prática são uma forma única de aprendermos, já que durante essas visitas, podemos ver a importância do fisioterapeuta dentro de uma grande empresa, o esforço e dedicação para evitar o afastamento dos funcionários por doenças ocupacionais. Os trabalhos em equipe como podem observar, como são amplos os atendimentos, e como é importante uma equipe multidisciplinar dentro de uma empresa”, enfatiza Elaine Kakuta.