Vereadora denunciou a escuridão da avenida Guaicurus na última sessão. (Foto: Thiago Morais)

A vereadora Daniela Hall (PSD) denunciou na última segunda-feira (11)  a escuridão em pelo menos 4,5 quilômetros da avenida Guaicurus em Dourados. Atendendo a pedidos de moradores próximos a via, a vereadora esteve a tarde e a noite conversando com usuários da via. A Preocupação, segundo Daniela é que com a volta as aulas das universidades, o fluxo de veículos aumente, assim como os riscos de acidentes.

“A Prefeitura precisa iluminar de forma emergencial essa avenida, que no passado ficou conhecida como rodovia da morte. Mais de 10 mil veículos passam pela avenida diariamente. A maioria deles é no período noturno. A situação coloca em risco a vida e integridade física dos usuários e transeuntes que por ali passam no período noturno, já que além da escuridão, muitos sinais de regulamentação não são visíveis aos condutores”, destaca Daniela.

A vereadora explica ainda que o município de Dourados recebe contribuição para o Cosip (Custeio dos Serviços de Iluminação Pública) de unidades consumidoras localizadas na Avenida Guaicurus. “É contraditório a Prefeitura cobrar essa taxa e não prestar o serviço”, acrescenta, observando que a Prefeitura tem alegado o furto de fios no local. “Já se passaram alguns meses desse suposto crime e a rodovia continua na escuridão. É preciso agilidade por parte da Prefeitura”, acrescenta.

Audiência Pública

A vereadora está mobilizando a população para participar da Audiência Pública: “Direito do Consumidor X Aumento nas contas de energia elétrica em Dourados”. O evento será realizado no próximo dia 14, às 19h na Câmara Municipal, numa proposição da vereadora Daniela Hall (PSD), presidente da Comissão dos Direitos Humanos, Cidadania e Direitos do Consumidor da Câmara Municipal. A audiência acontece em parceria com o deputado estadual Marçal Filho (PSDB) e vai contar com representantes do Ministério Público Estadual, Procons de Dourados e Itaporã, Inmetro, Defensoria Pública, Energisa e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB 4ª Subseção).

Durante o evento serão tratados temas como o aumento nas contas de energia elétrica e a taxa de iluminação pública pagas pela população. Segundo ela, a Prefeitura tem informado que arrecadou R$ 15,4 milhões, mas teria utilizado apenas R$ 933 mil desses investimentos. “A nossa Dourados está no escuro. Precisamos entender para onde está indo os recursos da arrecadação. Se necessário suspender a cobrança até que a prefeitura comprove a utilização deles”, destaca.