A primeira reunião aconteceu nesta quarta-feira. (Foto:Divulgação)

Desde o ano passado está em construção uma Audiência Pública sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde coletiva. Na tarde desta quarta-feira (20) uma reunião definiu os rumos para o debate. A atividade será realizada no dia 25 de abril de 2019, às 18h30, na Câmara de Dourados, com proposição do mandato do vereador Elias Ishy (PT).

Para além da saúde humana, o uso de agrotóxicos tem graves consequências para o meio ambiente, lembra o parlamentar. Publicado em outubro de 2017 pelo Greenpeace Brasil, o relatório sobre “Agricultura Tóxica” relata que “muitos dos efeitos a longo prazo ainda são desconhecidos, indicando que o impacto da exposição aos agrotóxicos pode ser bem maior do que se imagina”, mostrando que as  intoxicações crônicas são “silenciosas”.

Além disso, o texto diz que “a exposição constante a essas substâncias pode estar relacionada ao surgimento de graves problemas de saúde como cânceres, mutações genéticas, distúrbios e problemas sobre o sistema reprodutivo, abortos, malformações, neurotoxicidade, desregulação hormonal, efeitos sobre o sistema imunológico e outros, com importantes repercussões sobre o perfil de morbidade e mortalidade das populações e incalculável custo social”.

A ONU (Organização Nacionais Unidas) e o INCA (Instituto Nacional do Câncer) também já divulgaram várias informações sobre doenças. Entre os mais vulneráveis estão às grávidas, as crianças e as comunidades que moram próximas às plantações, como as indígenas. Na região, de acordo com o dossiê Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), foi observada correlação entre a prevalência de intoxicações e de tentativas de suicídio pela exposição a agrotóxicos, principalmente nas culturas de algodão e feijão. Os municípios de Dourados, Fátima do Sul e Vicentina se apresentaram como mais críticos, de acordo com a pesquisa.

Para entender e debater mais sobre o assunto, a palestrante será a Fernanda Savicki de Almeida, Doutora em Ciências, pesquisadora da Fiocruz Mato Grosso do Sul e integrante da Comissão de Estudo dos Impactos dos Agrotóxicos no MS.  Ela é ainda membro do Núcleo de Agroecologia da Extensão, Ensino, Pesquisa e Saberes Tradicionais de MS e da Coordenação Coletiva do Grupo de Trabalho de Saúde da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA – Agroecologia).

A próxima reunião do grupo será no dia quatro (04) de abril, às 16h30, no Plenarinho. Lembrando que Ishy é presidente da Comissão de Saúde da Câmara.