Ângelo Ximenes abordou sobre a produção agrícola regional e a atuação da Coperplan aos estudantes americanos. (Foto: Gleiber Nascimento)

Na tarde da última quinta-feira (10), 26 estudantes da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, estiveram em Dourados e conheceram in loco as características da agricultura da região. Os alunos estão cursando a Faculdade de Agricultura da universidade, localizada na cidade de Urbana-Champaign.

Segundo o professor Bob Houser, do Programa de Imersão em Negócios da universidade, a visita ao Brasil vai durar duas semanas e tem como objetivo principal mostrar aos alunos os contrastes entre a agricultura americana e a brasileira, levando-os em propriedades rurais e instituições que articulam a agricultura no País, com a Embrapa e algumas empresas de consultoria agrícola.

“Nos Estados Unidos as universidades não oferecem graduações específicas como aqui no Brasil. Lá os alunos escolhem uma grande área de estudos e vão cursando disciplinas até obterem o bacharelado, com o foco onde desejam. Todos aqui estão cursando a Faculdade de Agricultura. A maioria vai focar em Agronomia e Economia e está no quarto [último] ano. Alguns vão focar no estudo da planta em si [biologia], uma em engenharia e outra em educação agrícola. A visita surgiu a partir da conclusão de um estudo que fizemos sobre a agricultura do Brasil”, explicou Bob.

Após visitarem a Fazenda Vaca Branca, em Naviraí, os acadêmicos foram recebidos em Dourados pelo engenheiro agrônomo Ângelo Ximenes, sócio proprietário da Coperplan Consultoria Agrícola, que apresentou um panorama geral sobre a produção agrícola na região e também os serviços e projetos que a empresa atua.

“O mundo possui cerca de 7,2 bilhões de habitantes e segundo estimativas da ONU, esse número vai aumentar para 11 bilhões em 2100, sendo que apenas 40% da superfície do globo é usada para agricultura. Com isso, já surge a necessidade de aumentarmos a produção de alimentos e o Brasil se destaca no cenário mundial como um dos maiores produtores com potencial de crescimento, ou seja, caminhamos cada vez mais para ser uma das maiores lideranças mundiais. Receber a visita desses estudantes americanos além de confirmar isso, revela também que o Mato Grosso do Sul e Dourados são protagonistas e imprescindíveis nesse processo”, explicou Ângelo.

Também recebeu os estudantes o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Gessi Ceccon, que explicou sobre as pesquisas e os serviços oferecidos pelo órgão.

Antes da visita, os alunos estudaram o Brasil durante três meses, especificamente seis tópicos relacionados a agricultura.

Após conhecerem Dourados, os estudantes seguiram para o Estado do Rio de Janeiro para dar continuidade ao programa de imersão da universidade.