Mauricio Lemes
Mauricio Lemes espera ser empossado na vaga de Idenor Machado. (Foto: Divulgação)

O vereador Idenor Machado, que foi preso ontem durante a operação Cifra Negra, desencadeada pelo Ministério Público Estadual e Polícia Civil, pediu afastamento por 32 dias nesta quinta-feira (6) e o suplente, Mauricio Lemes Soares, faz plantão na Câmara de Dourados, esperando ser empossado.

O pedido de afastamento do vereador foi protocolado no final do expediente desta quinta-feira e só na sexta-feira (7) deve ser analisado pelo setor jurídico da casa de leis.

Mauricio Lemes chegou na sede do Legislativo por volta das 13h, quando e expediente já havia encerrado, e permanece nas dependências da Câmara esperando ser empossado ainda hoje. Ele cita o artigo 211 do Regimento Interno da Câmara, que determina a convocação do primeiro suplente em caso de afastamento do titular por mais de 30 dias.

Idenor Machado foi preso juntamente com os vereadores Pedro Pepa e Ramão Cirilo, além do ex-vereador Dirceu Longhi e o ex-servidor do Legislativo Amilton Salina. Eles são acusados de receber propina de empresas através de licitações fraudulentas. Cinco pessoas também foram presas em Campo Grande, mas não tiveram os nomes revelados.

Os vereadores, o ex vereador e o ex-servidor do Legislativo douradense estão presos na PED (Penitenciária Estadual de Dourados).