‘FATOR AYACHE’.  A construção de um projeto político lembra a metodologia para se erguer um prédio. Ambos devem ter os alicerces sólidos para suportar eventuais intempéries ao longo do tempo. No caso de Ricardo Ayache assumindo o PSB dentro de um projeto maior para 2022, pode-se dizer que – levando em conta sua administração à frente da Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul (Cassems), ele tem essa firmeza referencial que o credencia para a pretensão. Ele sabe que há um longo caminho a percorrer, com imprevistos e personagens, comparável a uma gincana.  Vencer os obstáculos até lá (2.022) sem desidratar o prestígio é o desafio maior.

RIVELINO (ex-craque) lembra: “o jogador que se apresenta para receber a bola tem a preferência no passe do companheiro”. Na política é preciso que se tenha visibilidade favorável para merecer a atenção do eleitor. É nesta posição que Ayache se coloca ao aceitar o comando do PSB. Gostei do discurso dele; emotivo e cuidadoso para não ferir sensibilidades. Terá que agir com coragem, cautela, atrair lideranças e costurar alianças.  O relógio lhe favorece, 2022 está longe! Sua posição lembra o jovem Moussa Assarid, do povo Tuaregue do deserto do Saara; indagado por um jornalista de suas pretensões na vida respondeu: “Você tem (usa) o relógio e eu tenho todo o tempo a meu favor”.

O RELÓGIO escraviza o seu dependente, quem olha para ele seguidamente. As últimas eleições – na capital e no Estado – fragilizaram lideranças que detinham boa parcela de prestígio. Para completar – escândalos, investigações, denúncias e prisões abalaram imagens e espantaram o eleitor.  Recuperar esse patrimônio eleitoral não é fácil em tempos de mídias independentes atreladas a internet. É neste ambiente que Ayache vislumbra um vácuo a ser ocupado. Poderá ser por competência dele, desgaste da concorrência ou somatória de fatores diversos – também chamada de sorte.

SURREALISTA. Os deputados não concluem a reforma da previdência alegando que o calendário da Casa está comprometido. Mas no ambiente atual, com a economia engessada, debates sobre corrupção, tráfico de drogas, desmatamento, saúde e educação capengando, milícias, eles encontraram tempo para apreciar uma proposta surrealista. Farão audiência na próxima semana para discutir os aspectos que envolvem o árbitro de vídeo (VAR). Pergunto: não seria o caso de se discutir a implantação do sistema de vídeo para monitorar o comportamento dos parlamentares desconectados com a nossa realidade. Como diria o narrador Galvão Bueno: “Pode isso Arnaldo? ”

‘DAY AFTER’ Quem não se lembra deste filme de 1983 mostrando os efeitos devastadores de uma explosão nuclear? Pois é; o seu título sempre é usado na mídia para falar de efeitos ou consequências desagradáveis nas mais diferentes situações. É o caso da dor de cabeça sofrida pelo deputado Pedro Kemp (PT) por quase 10 anos após deixar o cargo de Secretário de Educação na gestão do Governo Zeca do PT. Conta que precisou comprar centenas de carteiras escolares às vésperas do início das aulas para ocupar escolas construídas na gestão anterior. Mesmo com a justificativa passou um sufoco respondendo ao procedimento no Tribunal de Contas. No final foi absolvido.

PEDRO KEMP, do PT diz que um dos motivos de sua desistência em disputar um cargo executivo reside no risco de cair nas malhas da improbidade administrativa e assim ser obrigado a ressarcir com juros e correção monetária eventuais valores objetos de discussão. Kemp recorre as notícias dos cenários local e nacional – onde condenações e prisões tem sido uma constante, para opinar quando consultado por pretendentes a cargos do Executivo. O deputado culpa a postura do Ministério Público Estadual e do Ministério Público Federal, além da visão do Tribunal de Contas do Estado e do Tribunal de Contas da União. Enfim, Kemp ficou’ ‘escaldado’. Executivo jamais!

PÂNICO.  Nesta semana conversei com dois ex-prefeitos interioranos que visitavam a Assembleia Legislativa. Cada qual com sua narrativa que mais parecia uma epopeia. Ambos convivendo com a herança do ‘day after’.  Presidentes de Câmaras Municipais que atravessaram o sinal por qualquer motivo estão tendo problemas para regularizar a situação, inclusive repor gastos irregulares. Mas a notícia de arrepiar mesmo foi dada por uma pessoa próxima ao ex-prefeito da capital Gilmar Olarte, segundo a qual ele estaria respondendo a 169 procedimentos envolvendo o seu curto período de gestão. Informação que ainda não consegui confirmar com o ex-prefeito apesar das tentativas.

MUITO CRUEL Qual será a situação do lençol freático das nossas regiões agrícolas? A cada dois dias e meio uma pessoa morre no Brasil intoxicada por defensivos agrícolas; 25 mil pessoas se intoxicaram no país nos últimos anos. A União Europeia proíbe 40% dos agrotóxicos recém liberados. Até agora no primeiro semestre foram 239, sendo 42 num só dia de junho.  Em 2018 foram 450 novos agrotóxicos aprovados aqui. Dos 42 aprovados agora, 33% são classificados em nível 1 – extremamente tóxico aos humanos, cuja classificação vai de 1 a 4. O número maior é de menor toxidade. Com a palavra nossos 2 ministros, senadores, deputados federais e deputados estaduais.

‘NOS CORREDORES’   da Assembleia Legislativa, ouvi ilações sobre o pleito de 2020 em Campo Grande. Uma delas é que Sergio Harfouche (PSC), graças ao cacife de 163.314 votos para o Senado que obteve no maior colégio eleitoral do Estado em 2018, estaria sendo cortejado para disputar a prefeitura com o apadrinhamento do ex-governador André Puccinelli (PMDB) e de outros partidos. Cá entre nós – seria uma ironia o eventual candidato repetir aquele discurso messiânico de resgate de valores morais, etecetera e tal mas tendo ao lado políticos frequentadores da mídia policial por conta de suspeitas de corrupção. E então, mudaria o discurso e de opinião?

OS RUMORES envolvendo Sergio Harfouche são vistos como uma espécie de concorrência ao nome da deputada federal Rose Modesto (PSDB) que insinua em seus discursos a disposição de disputar a prefeitura da capital.  Até o surgimento do ‘fator Harfouche’, especulava-se que ela simplesmente poderia ser apoiada pelo grupo do ex-governador André Puccinelli (MDB). Rose não radicaliza tanto na religiosidade, mas também teria dificuldade no discurso em prol da ética e da boa conduta ‘naquele’ palanque. Hoje em dia não se pode minimizar a inteligência das pessoas e muito menos os efeitos das notícias da mídia ilustradas com fotos e vídeos inclusive. Outros tempos.

E VOLTA?  A notícia da hora sobre o ex-senador Delcídio do Amaral (PTC?) é que ele não estaria mais acendendo velas para Nossa Senhora Aparecida e São Jorge (apesar de torcer para o São Paulo F. Clube. Pelo visto é outro político que aposta na multiplicação dos milagres eleitoreiros fora da seara do Vaticano. Já imaginaram o nosso ex-senador com aquela imagem carismática e oratória agradável como pastor? Mas certo mesmo é que ele quer se recompor politicamente; procura um espaço compatível com seu último cargo. Sem grupo político – há quem especule que ele poderia até ficar ao lado do ex-governador André Puccinelli, com quem mantém boas relações. ‘Interessante mesmo’.

A PROPÓSITO.  Eleições municipais são diferentes de outros pleitos. Independente do tamanho do colégio eleitoral as questões e os personagens são debatidas nos mínimos detalhes. Numa capital como a nosso nada é impossível. O mesmo eleitor conservador que elegeu e reelegeu Lúdio Coelho prefeito optou depois por Alcides Bernal (PP) como um gesto de repulsa a política do continuísmo do mesmo grupo (MDB e Cia) no poder.  O grande derrotado lá atrás não foi o candidato Edson Giroto (PR) o mais preparado dos postulantes, mas sim seu fiador político André Puccinelli, então governador. Essa é a leitura correta na analise de eventuais tendências do eleitor para o próximo pleito.

CONFIRA os números da pesquisa eleitoral em Dourados de 14 a 20 de junho, promovida pela ‘Ranking Pesquisas’ que ouviu 900 pessoas e bairros diversos.   Estimulada para prefeito: Marçal Filho 24,77%; Délia Razuk 9,33%; Renato Câmara 8,77%; Rodolfo do PSL 8,44%; Barbosinha 6,88%; Geraldo Resende 5,11%; Murilo Zauith 4,55%; Alan Guedes 3,11%. Brancos, nulos e que não responderam totalizaram 29,04 dos eleitores pesquisados.

LAMENTÁVEL.  O suicídio cometido por um empresário endividado do ramo cerâmico lá em Aracaju (SE) mostra a faceta dolorosa do nosso sistema instável que atrapalha quem deseja empreender, gerar emprego e renda. O cidadão acredita, mas se decepciona com a insensibilidade, burocracia e sacanagens que permeiam as relações. É bem assim: O BNDES deu dinheiro para obras no exterior, como se tivéssemos obrigação de resolver problemas de cubanos, africanos e venezuelanos, mas não temos recursos para socorrer quem trabalha aqui. A propósito: pergunte a qualquer empresário conhecido seu – a quantas anda a sua situação econômica.  PT. Saudações!

BOA NOTÍCIA foi repassada pelo deputado Lucas de Lima (SD) que esteve em Bonito (MS) na entrega de obras de melhorias do aeroporto. Em 2019 e 2020 serão investidos R$50 milhões no aeroporto de Campo Grande em melhoramentos diversos. A propósito: nosso aeroporto começou em 1932 como Núcleo de Destacamento de Aviação; em 1934 foi implantada a primeira linha do Correio Aéreo da Fronteira; em 1945 nasceu a Base Aérea; em 1950 teve início as operações comerciais. Até 1975 era administrado pelo Ministério da Aeronáutica quando passou para a Infraero.

PESQUISAS: O Instituto Brasileiro de Pesquisas ouviu 1500 eleitores em 15 cidades entre os dias O1 a 03 de julho, tendo registrado o evento conforme o art. 33 da Lei 9.504/97 e do TSE nº 23.549/2017. Avaliação do Governo do Estado na capital: 30,13 – ótimo/bom. 37,40% – regular. Ruim/péssimo – 20,06%. Não souberam e não responderam – 12,41%. Avaliação dos senadores: Nelson Trad Filho (PTB) 32,46; Simone Tebet (MDB) 20,33%; Soraya Thronicke (PSL) 9,13%. Não sabe e não responderam 38,08%. Dentre os deputados federais Fabio Trad (PSD) foi melhor avaliado com 21,16% e Tio Truts (PSL) o pior avaliado com 1,20%.

AVALIAÇÃO da gestão do prefeito da capital Marquinhos Trad (PSD): 47,20% – ótimo e bom; 25,26% – regular; ruim/péssimo – 18,13%; não sabem, não responderam 9,41%. Saúde, segurança, emprego, ônibus e impostos os maiores problemas.  Avaliação do Governo Bolsonaro: ótimo e bom – 37,73%; regular – 27,46%; ruim e péssimo 20,20%; 14,61 – não sabem, não responderam. Pesquisa estimulada para prefeito de Campo Grande: Marquinhos Trad (PSD) 31,06%; Rose Modesto (PSDB) 11,20%; André Puccinelli (MDB) 9,06%; Juiz Odilon 8,13%; Sergio Harfouche (PSC) 7,20%; Alcides Bernal (PP) 5,06%; Zeca do PT 4,20%; brancos e nulos – 20,03%.

RÁPIDAS

A Venezuela é aqui! Apesar de ‘maduro’ no posto o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) não passará mesmo o bastão da presidência do partido.

Deputado Lucas de Lima (SD) presidirá audiência para discutir a situação dos rios de Bonito e Jardim no dia 12, a partir das 14,00 horas na Assembleia Legislativa. Esteve em Bonito na entrega das obras de melhorias do aeroporto local.

Deputado Antonio Vaz (PRB) propôs a criação do Dia do Jovem Evangélico e na presidência da Comissão da Saúde cobrou medidas em prol da saúde e a construção do Hospital Municipal na capital

Deputado Neno Razuk (PTB) pedindo recapeamento da av. Filogônio J. Pires em Dourados, investimento na aldeia indígena urbana em Bataguassu, doação de viatura para a Guarda Municipal de Ladário e aparelhos de ar condicionado para escola de Rio Brilhante.

Ex-governador Marcelo Miranda curtiu fortes emoções na abertura da Exposição em Paranaíba. Seu neto, deputado João H. Catan (PR) ao seu lado.

Deputado Lídio Lopes (Patriotas) viu aprovado seu projeto incluindo musicoterapia no tratamento médico; presidiu a sessão semanal da CCJR e esteve em Naviraí com seu projeto Unidos pela Fé.

Deputado José Carlos Barbosa (DEM) pedindo ao Governo a reforma do prédio que abriga o Hemocentro em Dourados; destacou na tribuna a importância do início das obras de saneamento em Dourados.

Deputado Gerson Claro (PP) quer a criação do Dia do Conciliador Judicial e extrajudicial; construção de lombada pertos da linha ferroviária em Aparecida do Tabuado e instalação de semáforo perto de escola em Itaporã (MS).

Deputado Marcio Fernandes (MDB) propondo indicação para concessão de isenção do ICMS na compra de veículos para os motoristas de aplicativos.

Propina. Tudo que a gente desconfiava no início se confirmou com as declarações do ex-governador Sergio Cabral (MDB). O ‘legado’ das Olimpíadas começou bem antes com a grana embolsada.

Deputado Capitão Contar (PSL) viu aprovado em 1ª. discussão seu projeto de Escola Bilíngue para surdos; propôs projeto concedendo isenção de impostos para produtos biodegradáveis comercializados no MS.

Pode?  Só 2,4% dos jovens brasileiros quer ser professor. Há 10 anos esse percentual era de 7,5%. Os baixos salários e a falta de reconhecimento social são as causas.

Deputado Marçal Filho (PSDB) é autor de proposta dando prioridade às mulheres vítimas de violência domestica nos programas habitacionais; viu aprovado seu parecer da LDO na Comissão de Constituição Justiça e Redação.

Semana proveitosa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB); entregou 353 casas em Dourados e esteve em Bonito entregando as melhorias no aeroporto, inclusive com o recapeamento da pista asfáltica.

Deputado Evander Vendramini (PP); autor de projeto garantindo opção pelo parto Cesário e a analgesia. Recebeu vereadores e lideranças da região pantaneira em seu gabinete.

Deputado João Henrique (PL) viu aprovado na Comissão de Constituição, Justiça e Redação seu projeto sobre proteção de dados do consumidor; aprovado em 1ª. votação seu projeto sobre disponibilidade de cardápio em Braile.

Prefeito da capital Marcos Trad (PSD) concedeu reajuste de 4,17% aos professores da Rede Municipal. Se a arrecadação melhorar, promete aumentar o índice no futuro.

Conservador, o filósofo inglês Roger Scruton disse que ‘pessoas normais não são de esquerda. Nem de direita’.