SEM MEDO! Para o deputado federal Loester Trutis (PSL) é preciso acabar com o monopólio da fabricação de armas no Brasil com preço caro e qualidade baixa. Enquanto uma arma americana consegue detonar 4.000 tiros sem falhas, ao custo de R$2.200,00; a nossa similar detona só 800 tiros custando R$4.700,00. Uma covardia: nossos policiais com suas armas enfrentando bandidos com armamento importado de última geração. Aos prefeitos e vereadores o seu recado: “há dinheiro nos ministérios, mas só é liberado com projetos. Apenas pedir não basta. Façam projetos” – arrematou.

DECORO.  A quebra dele em cargos públicos é motivo de discussões Decoro é definida com a simplicidade de uma expressão com significado impar – dignidade no exercício do cargo. A propósito: Fernando Collor (PRN) e Dilma Rousseff (PT) não perderam a Presidência da República por falta de decoro, mas sim pelo crime de atos ilegais e de responsabilidade. Outros Chefes da Nação atravessaram o sinal nas suas funções, mas o comportamento público deles respeitava as regras sociais do decoro compatíveis ao cargo. Já o presidente Bolsonaro (PSL) exagera, mas não perderia o cargo pelo peso da bancada que o apoia politicamente. Mas é bom não abusar.

CAPITÃO CONTAR.  O deputado do PSL confessa-me que o viés ideológico e a postura moral são levados em conta na hora de convidar ou aceitar uma filiação em sua agremiação partidária.  Contar lembra que jamais a sigla deva ser de aluguel como tem sido habitual com outros partidos por aí. Nestes dias de recesso parlamentar ele visitou Dourados, Três Lagoas, Naviraí e várias cidades do Cone Sul, mantendo contatos para formatar diretórios realmente comprometidos com o projeto do PSL. Sobre eventual candidatura sua a prefeito da capital arrematou: “Estou focando no mandato para o qual fui eleito. É cedo demais para especular. Isso só atrapalha e divide o grupo”.

‘INTERROGAÇÃO’ A corrupção é avassaladora, penetra nas veias da moral e da honra das pessoas como um veneno doce, prazeroso. Esse o introito de uma pergunta bem simples: como os caminhões lotados de cigarros e ‘bagulhos’ – conseguem sair do Paraguai e ir até à Paraíba, atravessando esse Brasil sem serem autuados na fiscalização da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Rodoviária de vários Estados?  Ora! Para descobrir como o esquema funciona basta percorrer o itinerário da carga e aferir quais os policiais estavam de plantão nas respectivas datas e horários. Uma varredura nos celulares dos motoristas levaria facilmente aos cabeças das quadrilhas. É a dica.

TABATA AMARAL: “… A combinação de presidencialismo e federalismo, como ocorre no país, favorece as chamadas indisciplinas partidárias. Busca-se reforçar o poder da liderança partidária punindo dissidentes pela máxima de que os partidos não podem passar sinais de fraqueza. Será preciso uma reforma muito profunda do nosso sistema político para produzir os incentivos necessários para “disciplinar” as siglas. Enquanto existir o presidencialismo, o multipartidarismo e a federação, as lideranças partidárias precisarão ouvir e negociar com suas bases, dissidentes ou não…”. (A autora é deputada federal pelo PDT-SP)

OPINIÃO do deputado Fabio Trad (PSL): “…O Brasil vive um momento político simplificador e reducionista. Sugiro que tenhamos mais temperança porque a vida não tem a exatidão previsível da matemática. Na política, o dualismo nos levará à exclusão de alternativas pela falência do pensamento. Racionalizemo-nos! … (…) Volto a repetir: o debate político do Brasil está doente pela polarização que inibe a reflexão e esteriliza o terreno argumentativo…”

PARA REFLETIR.  “Levar os outros a sentir inveja é coisa que as crianças começam a praticar em tenra idade. O celular top de linha, a viagem a Disney, o carro novo do pai. Crianças pobres são humanas como as crianças ricas. Põem-se a praticar o mesmo pecado que as crianças ricas quando exibem suas riquezas. Só que elas não tem celular, a maior viagem que fizeram foi de um bairro a outro, e o carro novo do pai é o mesmo carrinho de catar papel que tinha quebrado e o pai consertou. Mas a pobre criança não podia se dar por vencida. Ela tinha uma coisa que o menino rico jamais teria.Meu pai consegue ficar três dias sem comer e o teu não consegue.” (Nelson Padrella)

PONTO FINAL. Como sempre nas cidades do interior as eleições já começam a fomentar hipóteses e especular nomes de um e de outro. Conversei sobre essa ‘febre’ com o deputado Gerson Claro (PP) que – garantiu sua eleição nas bases interioranas. O parlamentar reconhece; seu nome é ventilado como uma das lideranças fortes de Sidrolândia para concorrer ao Executivo Municipal, mas decidiu colocando um ponto final nestas conversas. Diz que precisa retribuir os votos obtidos também em outras cidades e que tem compromisso político de permanecer os 4 anos na Assembleia Legislativa. Gerson ressalta: “sou novo, nada de queimar etapas”.

‘DO LEITOR: “Até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência? Por quanto tempo a tua loucura há de zombar de nós? A que extremos se há de precipitar a tua desenfreada audácia? Nem a guarda do Palatino, nem a ronda noturna da cidade, nem o temor do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, neste este local tão bem protegido para a reunião do Senado, nem a expressão do voto destas pessoas, nada disto conseguiu perturbar te? Não te dás conta que os teus planos foram descobertos? Não vês que a tua conspiração a tem já dominada todos estes que a conhecem? Quem, dentre nós, pensa tu que ignoras o que fizestes na noite passada e na precedente, onde estiveste, com quem te encontra-se, que decisão tomaste? Oh tempos, oh costumes”. Catilinárias, Marcus Tullius Cícero – 63 – a C)

DECIDIDO.  Aos 50 anos de idade o deputado Lucas de Lima (SD) se diz tranquilo para enfrentar mais uma provação de ordem pessoal e confirma a disposição de representar o seu partido nas eleições da capital em 2020 como candidato a prefeito. Lucas lembra que seu currículo limpo é O maior trunfo para essa caminhada que ele reconhece difícil, mas não impossível. Lucas entende que o político deve sim dar sua parcela de contribuição ao partido (presidido Pelo deputado federal Paulinho da Força) que precisa disputar eleições para aumentar a representação. Lucas diz que sua candidatura não representa sacrifício, mas sim a chance de ocupar espaços.

NA VEIA!  “…A divisão dos brasileiros, a desorientação reinante, a ausência de um projeto de país, só reforça esse ambiente baseado em vaidades, ressentimentos, julgamentos morais e manipulações de emoções, reações e comportamentos os mais primitivos do ser humano. É hora de pacificar o país, construir soluções de interesse da maioria e não estimular esse comportamento insano de desconstrução, destruição das conquistas econômicas, sociais e culturais do Brasil. A forma de estancar isso é reunindo as instituições e pessoas de bom senso em torno de um programa, que reflita, de fato, as demandas e aspirações do povo brasileiro…” (Antonio A. Queiróz-jornalista)

BARÃO DE LADÁRIO Em nossa capital há uma rua na Vila Sobrinho com seu nome (José da Costa Azevedo). Mas poucos sabem que ele foi a única vítima da Proclamação da República. Acabou levando um tiro no Rio de Janeiro ao tentar prender um resistente desconhecido quando era ministro da marinha – mas escapou com vida. Participou da Guerra do Paraguai, foi senador e deputado geral pelo Estado do Amazonas. Também integrou a comissão diplomática brasileira que tratou da pacificação dos conflitos pela divisa entre o Brasil e o Perú.

CAMINHANDO…  Muitas lorotas mescladas com imaginação fértil quando se toca na sucessão municipal em Campo Grande. Fala-se em ressurreição, coelhos de cartola e personagens messiânicos inclusive. Até aqui – apesar das dificuldades reconhecidas face a notória situação nacional – o prefeito Marcos Trad (PSD) continua muito forte com essa aliança estabelecida com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), além de um sólido apoio da maioria da Câmara de Vereadores. Depois daquele desastre com a vitória de Alcides Bernal (PP) o nosso eleitor parece – nas pesquisas – mais cuidadoso e ‘sobretudo temeroso. Aquela ‘experiência’ não será esquecida tão cedo. Tomara!

‘CURTO CIRCUITO’ Precisamos copiar algumas posturas políticas paraguaias. Se aqui o processo de impeachment presidencial parece um parto, com recursos a perder de vista, lá o processo é rápido. A destituição do ex-presidente Fernando Lugo por exemplo (2012) precisou só de 36 horas para se concretizar. Mario Abdo Benitez, o atual presidente, sob risco de perder o cargo devido ao acordo energético com o Brasil. É que seriam necessários apenas 53 votos dos 80 deputados e 30 votos dos 45 senadores para aprovar o impeachment. Se isso ocorresse haveria nova eleição direta e os acordos Brasil-Paraguai iriam água abaixo. Felizmente tudo terminou em paz.

ALEXANDRE GARCIA: “…Tentaram descobrir quem financiou os advogados do Adélio Bispo, mas a OAB não quis que descobrissem. Está se escondendo alguma coisa. Há muita coisa escondida que começa a aparecer devagarzinho. Muita coincidência. Agora a gene vê que a candidata na chapa de Haddad foi quem passou o telefone do americano para o hacker. Engraçado que esse hacker que tem condições de saber o telefone de Dallagnol, do Sergio Moro, do Paulo Guedes, do Bolsonaro, dos presidentes da Câmara e do Senado e de ministros do STF não tem condições de descobrir o telefone do americano e precisa da intermediação da ex-deputada Manuela d’Ávila…”.

TEIMOSIA.  Não é por falta de aviso na mídia. O campo-grandense continua comendo muito, errado e ainda fuma muito.  As últimas pesquisas do Ministério da Saúde vem mostrando um quadro simplesmente perigoso com tendência de se agravar inclusive. Andando pelas ruas da capital não é difícil perceber o elevando número de pessoas jovens que já apresentam sinais de obesidade. Também de nada adiantam os nossos parques, praças e academias ao ar livre. Eles continuam vazios. Não é por acaso; há 800 pessoas inscritas para a Cirurgia Bariátrica no nosso Hospital Regional.

DEUS QUEIRA!  Pelo jeito, a reforma tributária poderá ser mesmo votada em Outubro deste ano. Aliás, o texto já foi inclusive aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) põe fim a três tributos federais: IPI, PIS e COFINS. Também deverá extinguir com o ICMS – que é estadual – e o ISS – de caráter municipal. No lugar, será criado o IBS (Imposto sobre Operações com Bens e Serviços) de competência da União, Estados e Municípios. Ainda será criado um outro imposto de competência exclusiva da União versando sobre bens e serviços específicos. Vale lembrar que o prazo de transição é de dez anos. Portanto, bem devagar.

ALELUIA!   Ainda bem que os russos não fugiram da raia e mantiveram de pé a proposta para a compra da fabrica de fertilizantes da Petrobras em Três Lagoas.  Andou bem o governo estadual ao facilitar as condições para incentivar a negociação do empreendimento da estatal brasileira atingida no peito pela Operação Lava Jato. Assim vamos saindo – ainda que devagar – da velha dependência econômica do boi e da soja. Sorte do prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) de Três Lagoas que deve tirar proveito político do desfecho positivo deste episódio. Sorte pra quem tem!

Na política é difícil distinguir os homens capazes, dos homens capazes de tudo. (Henri Béraud)