O deputado Barbosinha (DEM-MS) confirmou, na manhã desta terça-feira (21), em entrevista ao radialista Antônio Coca, no programa Noticidade da rádio FM101, que a viabilização do projeto de candidatura a prefeito de Dourados nas eleições de outubro deste ano “é uma construção que envolve a participação de todos os partidos”.

Nesse sentido, revelou que já manteve conversações preliminares com os deputados Renato Câmara (MDB) e Marçal Filho (PSDB), igualmente aspirantes desse projeto e que a pré-candidatura do nome dele pelo DEM conta, hoje, com o aval das principais lideranças da legenda, como o deputado Zé Teixeira, o vice-governador Murilo Zauith, os ministros Mandetta e Tereza Cristina e que espera ter também o aval do governador Reinaldo Azambuja, de quem ainda é líder na Assembleia Legislativa até à volta dos trabalhos, em fevereiro.

“Estamos conversando com todas as forças organizadas, porque essa é uma construção que não se pode fazer de forma isolada. Dourados precisa recuperar o protagonismo”, citou o deputado, lembrando que o município perdeu o único deputado federal que tinha [Geraldo Resende, hoje secretário estadual de saúde] e que os inúmeros problemas verificados, na gestão administrativa da cidade, ele debate também com o deputado Neno Razuk, filho da prefeita Délia, que está terminando o mandato, “invocando para essa responsabilidade de todos”.

O deputado disse que, no primeiro ano deste segundo mandato na Assembleia, como líder do Governo, teve a oportunidade de fazer o contraponto, buscar o equilíbrio com todas as forças políticas, e agora está deixando a função para “buscar o diálogo com as forças de Dourados e construir um projeto de gestão com a marca da experiência de quem já foi prefeito, aos 25 anos de idade, passou pela Sanesul por sete anos, saneando as finanças e reerguendo a empresa e na Secretaria de Justiça e Segurança Pública, construímos um dos maiores programas de segurança do Estado”.