Bancários realizam Dia Nacional de Luta e cobram proposta decente dos bancos

-

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) depois de quatro rodadas e negociação onde até o momento não disse a que veio, promete apresentar proposta global para os bancários no dia 19 de setembro, mas ao contrário do que as organizações financeiras pensam, a enrolação fortalece ainda mais a categoria, que está mobilizada e unida para enfrentar cada passo da Campanha Nacional do Bancários.

Nesta segunda (15/09), por exemplo, os bancários estão realizando Dia Nacional de Luta, com manifestações em todo o país. Em Dourados(MS) os bancários protestaram durante toda a manhã em três agências, duas do Bradesco e uma do Itaú que, inclusive, tiveram as suas aberturas retardadas, só vindo a atender os clientes após as 11 horas.

A manifestação contou com panfletagem, faixas e carro de som, denunciando os altos lucros do setor financeiro, onde os 05 maiores bancos (Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander e Caixa Econômica) lucraram juntos, apenas no 1º semestre deste ano, R$ 28,5 bilhões, em contraste com as péssimas condições de trabalho, baixos salários e as demissões de trabalhadores.

Essas instituições arrecadaram R$ 49,7 bilhões, nos mesmos seis meses, apenas com as altas tarifas cobradas dos seus clientes, valor 10% maior que nesse mesmo período de 2013. Enquanto isso, o cliente trabalha cada vez mais para engordar os cofres dos bancos, já que somente nesses primeiros seis meses de 2014, os bancos extinguiram mais de 5 mil empregos bancários.

Após às 11 horas os diretores do Sindicato percorreram todas as agências bancárias da cidade, dialogando com os trabalhadores e mobilizando a categoria para os próximos passos da campanha, que pode ser até mesmo a greve por tempo indeterminado, caso a Fenaban não apresente uma proposta decente para os trabalhadores.

O Dia Nacional de Luta foi uma deliberação da 16ª Conferência Nacional dos Bancários, ocorrida de 25 a 27 de julho, em Atibaia (SP), buscando combater as demissões, a rotatividade, os projetos de terceirização, as metas abusivas e o assédio moral, a insegurança e as discriminações nos bancos.

A mobilização antecede as novas negociações com os bancos. O Comando Nacional, coordenado pela Contraf-CUT, fará na terça 16 e na quarta 17 mais duas rodadas com a Fenaban para discutir as questões pendentes das quatro jornadas de discussões realizadas até agora.

Os negociadores da Fenaban disseram que na terça irão apresentar o resultado do II Censo da Diversidade e os dados solicitados pela Contraf-CUT sobre os números de afastamentos de bancários no trabalho. Na quarta serão debatidos os temas pendentes das rodadas anteriores. Depois, eles vão se reunir com os presidentes dos bancos e ficaram apresentar uma proposta econômica aos bancários provavelmente na sexta 19.

Nas quarto rodadas de negociações com a Fenaban, concluídas na quinta 11, foram discutidas todas as demandas referentes aos temas prioritários para a categoria bancária. Os bancos, no entanto, não apresentaram propostas.

plugins premium WordPress