Conselho de Medicina suspende anestesista gravado em estupro

-

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) suspendeu, provisoriamente nesta terça-feira (12), o registro do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, acusado de estuprar uma grávida durante cesariana em um hospital no Rio de Janeiro e preso preventivamente.

A decisão do Conselho, tomada em plenária, impede que Giovanni exerça a medicina em todo o país. O Conselho também informou que está sendo instaurado um processo ético-profissional contra ele, que pode levar a cassação definitiva do registro. “A medida é um recurso para proteger a população e garantir a boa prática médica”, destaca o Cremerj.

Em comunicado, o presidente do Cremerj, Clovis Munhoz, destacou que a instituição irá agir com a celeridade que o caso exige. “Firmamos um compromisso com a sociedade de celeridade no que fosse possível e essa suspensão provisória é uma resposta. A situação é estarrecedora. Em mais de 40 anos de profissão, não vi nada parecido. E o nosso comprometimento não acaba aqui. Temos outras etapas pela frente e também vamos agir com a celeridade que o caso exige”, afirmou.

O crime

Giovanni Quintella Bezerra foi gravado estuprando uma grávida que passava por uma cesariana na segunda-feira. O registro foi feito por enfermeiras na sala de cirurgia do Hospital da Mulher, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. As funcionárias desconfiaram da conduta do médico devido à alta quantidade de sedativos que ele estava aplicando nas grávidas.