Além de Dourados, a peça seguirá para as cidades de Campo Grande e Três Lagoas. ( Foto: Divulgação)

A Cia. Última Hora, formada por acadêmicos, egressos e docentes do curso de Artes Cências da UFGD, vai estreiar neste final de semana em Dourados seu novo trabalho, intitulado “MEU MANO HUMANO”, um espetáculo de teatro musical para crianças de todas as idades. Serão cinco apresentações no Teatro Municipal de Dourados nos dias 02 e 03 de julho de 2017.

No dia 02, às 17h e às 20h. No dia 03, às 8h30, 14h30 e às 20h. Os ingressos custam R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), e criança com até 4 anos não pagam. Em 2016, a trupe recebeu o Prêmio Rubens Corrêa de Teatro, promovido pela Fundação de Cultura do Estado de Mato Grosso do Sul, e, com este investimento, montou o espetáculo “Meu Mano Humano”, na maior produção da companhia até então, com direção de Marcos Chaves.

Além de Dourados, a peça seguirá para as cidades de Campo Grande e Três Lagoas.’Meu Mano Humano’ debate temas como adoção, aceitação de diferenças, amadurecimento e superação de traumas em um universo fantástico onde Palomito, um gato carinhoso, mas muito medroso, descobre que seus “pais humanos” terão um bebê; e ao lado de seus amigos, questiona sua própria natureza e decide fazer escolhas que mudarão para sempre sua vida.

Com trilha sonora e dramaturgia original, a peça de cinquenta minutos de duração trata  dos temas citados de maneira descontraída e direta, utilizando-se de referências populares intercaladas com momentos de expressiva performatividade contemporânea.

O GrupoA douradense Cia Última Hora, composta por professores do curso de Artes Cênicas e alunos do curso, atua desde 2014, nasceu nos corredores do Núcleo de Artes Cênicas da FACALE – UFGD e da vontade dos artistas envolvidos de ampliar pesquisas artísticas pessoais e práticas em artes cênicas.

No primeiro ano foram montadas as peças “A menina sem chapéu e o lobo que não era mau”, inspirada no clássico Chapeuzinho Vermelho e voltada para o público da infância e juventude, e “Tristão e Isolda” – como teatro de rua – a partir do conto medieval de mesmo nome; ambas as obras com direção de Marcos Chaves. O espetáculo de rua recebeu o Prêmio Funarte Artes na Rua, e em 2015 circulou nos estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná.

Neste ano, a companhia também recebeu o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, o que possibilitou a montagem das ações cênico-performativas “Fragmentos de corpos urbanos – Parte I”, com direção artística de Ariane Guerra. Fragmentos estreou em 2016 e teve apresentações em Dourados e em Pelotas no Rio Grande do Sul. Mais informações da peça com a professora Flávia Janiaski, pelo celular 9-8102-7275 ou pelo e-mail: flajaniaski@hotmail.com