Balé está entre as atividades extraclasse oferecidas pela Prefeitura de Dourados. (Fotos – A. Frota)

Nas academias especializadas e em espaços públicos e pontos parceiros, as oficinas culturais e atividades extraclasses do projeto “Palco para Todos” envolvem mais de 500 alunos das escolas públicas de Dourados. A ação da Prefeitura, realizada por meio da Secretaria de Cultura, inovou ao descentralizar as atividades no município para bairros diversos e abranger também a comunidade indígena.

São 16 pontos com atendimento a crianças e adolescentes por meio de profissionais especializados. As atividades tiveram início no segundo semestre do ano letivo e foram expandidas nesta edição por direcionamento da prefeita Délia Razuk com foco na descentralização da cultura no município.

Conforme Andiara Pacco Coquemala, coordenadora do projeto, atualmente são 350 alunos participando de aulas gratuitas de dança (balé, jazz, dança do ventre) e artes visuais (desenho) nas instituições parceiras, e 180 alunos nas oficinas gratuitas espalhadas em vários pontos da cidade (oficinas de teatro, de circo, percussão).

O secretário de Cultura, Jorge Augusto “Peu”, cita que a procura pelas ações superou as expectativas e que os alunos tem se mostrado muito empenhados em aprender em todas as modalidades.

Ele destaca a inovação desta edição do “Palco para Todos” com a descentralização da cultura. “Ficamos muito satisfeitos em ver os alunos se dedicando a dança, teatro, música no contraturno escolar, esse aprendizado agrega no desenvolvimento de cada um. Vemos que levando oficina para bairros diversos e para a aldeia indígena temos alcançado crianças e adolescentes que muitas vezes não teriam como se descolar por quilômetros para participar de ações como estas sendo que este era o intuito da prefeita Délia”, destaca.

Conforme a coordenadora ainda há vagas para as oficinas que ocorrem na Praça da Juventude, polem da Escola Lóide Bonfim Andrade e no Jorjão (Complexo Esportivo e Cultural Jorge Antônio Salomão) com as modalidades de teatro e circo.

As academias parceiras do projeto sãoInstituto de Desenvolvimento Artístico e Social Sucata Cultural, Studio Blanche Torres, Academia de Balé Anna Pavlowa, Academia de Dança Maria Ester, Entreartes Espaço de Convivência Artística, Beco das Artes e Studio Jacy Brasileiro.

Os pontos que concentram as oficinas culturais são a Praça da Juventude, Unidade Básica de Saúde do Altos do Indaiá, Ceia – Centro de Integração do Adolescente Dom Alberto, pólem da Escola Loide Bonfim Andrade, AJI – Ação dos Jovens Indígenas de Dourados-, Jorjão, Casa Criança Feliz, Cras da Aldeia Indígena e Centro de Tradições Terena.

Mais informações podem ser obtidas em contato com a  Secretaria de Cultura. O telefone é (67) 3411-7709.