Grupo com know how em logística investirá R$ 120milhões em moderno porto em Porto Murtinho A Navios Logísticas América do Sul, uma das maiores empresas do sistema hidroviário sul-americano, assegurou nesta quinta-feira (11/4) junto ao Governo de Mato Grosso do Sul a construção de um porto fluvial no município de Porto Murtinho, para armazenagem e escoamento de grãos, líquidos e outros produtos. O grupo investirá R$ 120 milhões e pretende operar em tempo recorde – a partir de dezembro de 2020.

A diretoria executiva da Navios Logísticas foi recebida pelo secretário Jaime Verruck, da secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), oportunidade em que formalizou o pedido de licenciamento ambiental da importante obra. O terminal multimodal será instalado em uma área já adquirida próxima às margens do Rio Paraguai, integrando o novo complexo portuário da cidade.

O terminal com projeto de suporte e design de última geração terá capacidade para 80 mil toneladas de grãos (três silos e um armazém) e ainda quatro tanques de 15 mil m³ cada para líquidos, com sistema ágil e eficiente de carga e descarga simultâneo e três posições independentes de barcaças. A estrutura prevista vai agilizar o transbordo e reduzir a demora na movimentação das cargas e o tempo de trânsito na hidrovia.“Estamos entusiasmados com a perspectiva de logística e negócios com esse porto”, afirmou o diretor-executivo do grupo, Cláudio Lopez, após se reunir com o representante do Governo do Estado. “É uma região de potencial crescimento em infraestrutura e comércio, e acreditamos que reduzindo custos e acrescentando eficiências na cadeia de logística melhoraremos o poder da produção de Mato Grosso do Sul”, acrescentou o empresário.

Menor custo de transporte Cláudio Lopez enfatizou que a Navios Logísticas é uma companhia que já opera há muitos anos na Hidrovia do Rio Paraguai e oferecerá ao mercado, em especial ao agronegócio de Mato Grosso do Sul, um sistema operacional integral que consistirá em transportar os grãos e outras cargas até Nueva Palmira (Uruguai) e de lá chegar aos mercados europeus e asiáticos com menor custo. “Vejo um grande futuro para todos”, disse.

Segundo o operador da via Michael Chain, que acompanhou o grupo empresarial na reunião com o titular da Semagro, o novo porto vai garantir uma logística integrada, com know how mundial, onde o produtor do Estado terá a garantia de que sua produção chegará aos terminais uruguaios e embarcados em navios transatlânticos para o seu destino. “Essa logística vai dar flexibilidade e redução do custo de transporte em dez dólares por tonelada”, apontou.

Fundada em 1955, a Navios Logísticas atende às necessidades de armazenamento e transporte marítimo de seus clientes através de terminais portuários, barcaças fluviais e cabotagem costeira. O negócio está focado em dois importantes mercados de transporte na América do Sul: o sistema hidroviário e o comércio de cabotagem ao longo da costa leste da América do Sul. “Temos uma longa história de atuação na região”, disse Cláudio Lopez.

Um projeto extraordinário Conta com terminal portuário seco em Nueva Palmira, localizado na confluência dos rios Paraná e Uruguai, é o maior terminal portuário independente de armazenamento e transferência em bloco no Uruguai, com duas instalações dedicadas, uma para exportações agrícolas e florestais e a outro para minerais. Também opera terminal líquido em San Antônio, no Paraguai, com instalações independentes para de produtos petrolíferos.“Trata-se de um extraordinário empreendimento para Mato Grosso do Sul e para o Brasil”, afiançou o ex-ministro Carlos Marun, atual conselheiro da Itaipu Binacional, após acompanhar a visita do grupo empresarial à Semagro.

“O Estado está recebendo investimentos de uma das maiores empresas verticalmente integrada e focada no transporte e transbordo de commodities”, destacou Marun. “Vai dar competitividade ao nosso produto.”A apresentação detalhada do projeto do terminal em Porto Murtinho entusiasmou o secretário Jaime Verruck. “A empresa já transita em frente à cidade transportando minério de Corumbá e tem um profundo conhecimento da logística da região, o que garante um grande impulso a nossa hidrovia”, afirmou.

Verruck destacou que o terminal atenderá futuramente a refinaria a ser instalada no Estado com importação de nafta e outros insumos.