Vereadores receberam profissionais da educação em dia de paralisação. (Foto: Thiago Morais)

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Dourados, composta pelos vereadores Alan Guedes (DEM) – presidente, Elias Ishy (PT) – vice-presidente, Sérgio Nogueira (PSDB) – 1º Secretário e Daniela Hall (PSD) – 2ª Secretária, recebeu profissionais da Educação Infantil na manhã desta segunda-feira (17), primeiro dia de paralisação parcial da categoria. Os educadores reivindicam a contratação imediata de auxiliares para atuarem junto aos professores.

De acordo com o presidente do Sindicato Municipal de Trabalhadores da Educação de Dourados (Simted), Juliano Meneghetti Mazzini, o problema se arrasta há dois anos, sem que o Executivo apresente uma solução para a baixa de estagiários. Ele enfatizou que a paralisação é necessária para não colocar em risco a vida das crianças.

“A Educação Infantil precisa ser tratada com seriedade. Não dá mais para fazer de conta que uma professora pode cuidar sozinha de dez bebês e não conseguir ir ao banheiro. Imaginem uma professora que está com 10 crianças. Se uma criança precisa trocar a fralda, como é que faz? Qual o malabarismo em que se sai com uma criança para o banheiro e outras nove ficam sozinhas na sala, sendo algumas engatinhando, outras descendo do berço querendo pular, outras chorando. Infelizmente quando se trata de dinheiro para a Educação, gestores querem fazer mágica, querem empurrar para o trabalhador uma obrigação que não é deles”, destaca.

Mazzini relatou ainda aos vereadores que o Executivo passou para os coordenadores de Ceims uma responsabilidade que não cabia a eles. “O núcleo de Educação infantil enviou, de forma extraoficial, por WhatsApp, uma orientação para que os Ceims reunissem seus conselhos de centro, dando uma autonomia que eles não têm para decidirem se iriam atender sem auxiliares. Como você joga para a base uma decisão que é tua? É maldade. Se acontecesse uma tragédia com alguma criança de quem seria responsabilidade? O professor que assinou a ata dizendo que trabalha sem auxiliar?”, indagou.

Durante o encontro, a vereadora disse que já marcou para a próxima sexta-feira uma reunião com os educadores, os vereadores e o secretário de Educação, Jorge Upiran Gonçalves. O encontro está previsto para as 8h no Plenário da Câmara.

Para Daniela, além da falta de auxiliares, é necessário esclarecer várias questões na Educação como a paralisação de obras de Ceims por falta de pagamento no final do ano e o transporte escolar.

Daniela também vem cobrando do Executivo que se cumpra acordo judicial para o prazo estabelecido para entregas de obras, além da contratação de vagas na rede particular para alunos da fila de espera nos Ceims. Ela recentemente apresentou relatórios ao Ministério Público Estadual e Defensoria Pública sobre obras paralisadas e mães em busca de vagas nas creches. A vereadora também é autora de lei que garante transparência na fila de espera na Educação Infantil, acabando com a possibilidade de interferências políticas.

“Nós temos buscado nos aproximar da luta da população. Por isso temos ouvido as reivindicações dos professores e pais, para que possamos interceder por eles e melhorar a qualidade de vida tanto dos profissionais da educação quanto das crianças e famílias atendidas”, completou Alan Guedes. O vereador Olavo Sul (Patriota) também participou da reunião.