Governo organiza carreira e promove melhoria salarial aos técnicos de educação superior da Uems

-

O governador Reinaldo Azambuja entregou nesta terça-feira (16) o projeto que organiza a carreira dos técnicos da Educação Superior da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e assim promove aumento salarial para categoria. A proposta será votada pelos deputados estaduais, na Assembleia Legislativa.

“As nossas demandas foram atendidas, entre elas a reestrutura na carreira. Além de conseguirmos nossos objetivos, o governador também deixou as portas abertas para continuarmos o diálogo em busca de novas melhorias”, descreveu a presidente da Sintauems (Sindicato dos Profissionais Técnicos da Educação Superior da Uems), Ana Maria Trindade Rodrigues Rauber.

O reitor da Uems, Laércio Alves de Carvalho, ressaltou que a proposta é um “sonho realizado” pela categoria, que só vai fortalecer ainda mais a universidade pública. “Os técnicos de nível superior da Uems não tinham uma carreira específica, agora vão ter sua tabela (salarial), classes e um aumento salarial, que em média é de 24%”, revelou.

Laércio ponderou que os técnicos de educação de ensino médio também terão um novo “reenquadramento” de carreira, também dispondo de melhoria salarial. “Posso dizer que estes profissionais (médio e superior) receberão entre os dez melhores salários nesta categoria pagos em universidades públicas de todo País”, descreveu.

A proposta ainda transforma o sistema remuneratório destes profissionais em subsídio e reajusta o valor da remuneração, procurando alinhar o piso salarial a outros setores similares da educação superior.

Haverá promoção por merecimento, e na promoção funcional também será levado em conta o tempo de serviço prestado ao Estado, na hora de enquadrar os servidores na classe e tabela. Os reajustes nos valores das tabelas salariais vão representar um ganho real na remuneração atual, beneficiando 423 servidores ativos e inativos da carreira.

Além do projeto aos técnicos da Uems, o governador entregou mais 14 propostas à Assembleia Legislativa. Entre elas o reajuste linear de 10% a todos os servidores estaduais, a incorporação do abono e mais 12 projetos de reestruturação de carreiras. “As discussões vão continuar os  as categorias. Todo este pacote de projetos impacta em R$ 1,2 bilhão a mais na folha salarial para ano que vem. O nosso limite é a responsabilidade”, afirmou Reinaldo Azambuja.