O MP quer saber se as escolas particulares estão ministrando aulas a distância.(Foto: Divulgação)

A Promotoria de Justiça da Infância e da Adolescência (46ª PJ de Campo Grande) instaurou Inquérito Civil com a finalidade de averiguar problemas relacionados à educação a distância (realização de atividades) durante o período de isolamento social decorrente da pandemia da COVID-19.

De acordo com o Promotor de Justiça Paulo Henrique Camargo Iunes, nem todos os alunos possuem condições de acompanhar as aulas e possivelmente pode faltar estrutura tecnológica em algumas escolas particulares.

Na ocasião, o Promotor de Justiça solicitou à Presidente do Conselho Estadual de Educação, Eva Maria Katayama Negrisolli, e à Presidente do Conselho Municipal de Educação, Alelis Izabel de Oliveira Gomes, que, no prazo de dez dias, informem ao Ministério Público Estadual se as escolas particulares estão ministrando aulas e atividades a distância.