Elias Ishy recebeu grupo de professores no plenarinho da Casa de Leis. (Foto: Assessoria)

A situação dos CEIMs em Dourados deverá ser tema de Audiência Pública na Câmara proposta pelo vereador Elias Ishy (PT), então presidente da Comissão de Educação. O parlamentar recebeu um grupo de professoras na segunda-feira (10) a tarde para relatar alguns problemas enfrentados no retorno das atividades, como a falta de auxiliares.

“Estamos aqui porque queremos trabalhar, porque nos importamos com as crianças e as famílias”, afirmou uma educadora.Durante a reunião, ficou como encaminhamento levar a proposta a Assembleia do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados), realizada na terça-feira. A categoria entende ainda que há uma necessidade de concurso público para a educação infantil, sendo a demanda atual de 700 profissionais. Sendo necessário, segundo Ishy, construir agendas para dialogar com a sociedade.

Durante a atividade foram debatidos todos os problemas relacionados à deficiência desse apoio, entendendo que as responsabilidades na falta de condições de trabalho, bem como os riscos as crianças, recaem sobre os profissionais. “Imagine uma sala com oito bebês e apenas uma professora?”, indaga o grupo. O Simted, inclusive, denunciou a situação ao Ministério Público Estadual. Segundo a entidade, a resolução 080/2014 é clara onde recomenda que “em qualquer faixa etária as funções de educar e cuidar deverão ser exercidas pelo professor, acompanhado por um auxiliar em período integral”.

Anteriormente, quem auxiliava eram os estagiários, mas mesmo assim há um déficit na rede de ensino. Segundo narram às professoras, elas acabam responsáveis pela organização dos espaços, limpeza, entre outros afazeres. Além disso, as condições para os estágios também seriam precárias, como redução de bolsas, atrasos de pagamentos, portanto, sem viabilidade. Para a categoria, é preciso ainda repensar a figura do auxiliar.

Na sessão de segunda o vereador também recebeu um grupo que pede a chamada do concurso para professor coordenador e da educação infantil. Pediram ainda soluções quanto à entrega de novos CEIMs, diante da demora na conclusão das obras. Lembrando ainda que em uma proposta de conciliação firmada entre a administração municipal e o Poder Judiciário, o Município se comprometeu a disponibilizar 500 novas vagas na educação infantil a cada ano até 2022. “Para isso, no entanto, é preciso manter a qualidade, dando condições de trabalho a todos”, conclui Ishy.