O professor Martins era um dos entusiastas do esporte no Mato Grosso do Sul. (Foto: Marco Miatelo/Rede MS)

O atleta Martins Soares de Oliveira de 65 anos morreu na tarde desta sexta-feira em Ladário. Ele lutava contra um câncer de bexiga havia alguns anos e mesmo em tratamento não deixou de participar de competições sempre que a condição de saúde permitia.

Militar da Marinha ele era da Bahia.  O Professor Martins, como era conhecido no meio esportivo, foi um exemplo de ser humano, conhecido especialmente por sua modéstia, compaixão e solidariedade ao próximo, tanto nas pistas, quanto fora. Como atleta, participou inúmeras vezes de provas tradicionais nacionalmente, a exemplo da Corrida de São Silvestre e Meia Maratona do Rio de Janeiro. Além disso, sempre foi um amante e defensor da marcha atlética.

Em 2003, após se aposentar da prática de alto rendimento, dedicou-se a promover, com persistência, o atletismo em Mato Grosso do Sul. Todavia, ainda participava de corridas pelo Estado, como forma de ajudar na divulgação dos eventos e atrair cada vez mais adeptos às corridas de rua.

Durante boa parte da vida, morou em Ladário e foi o fundador da Associação Máster de Atletismo de Mato Grosso do Sul (AMAM), sendo o atual presidente.Como profissional de Educação Física, auxiliou a Fundação de Esportes de Corumbá (Funec).No ano passado, o professor foi o embaixador da terceira edição da Rota das Estações, evento promovido pela Rede MS Integração de Rádio e Televisão.

Um dos episódios de solidariedade mais marcantes da carreira de Martins ocorreu durante a 4ª Meia Maratona Internacional da Bahia, em outubro de 2006. Ao invés de disputar a prova, o corredor preferiu prestar assistência ao goiano Francisco de Aparecido, atleta com deficiência visual, que não pôde participar do evento devido à falta de acessibilidade da organização. Martins, então, decidiu acompanhá-lo em todo o trajeto, como atleta-guia, até completar a prova.