Maia foi expulso do Paraguai na manhã desta segunda-feira. (Foto: Raul Ortiz)

Policiais paraguaios entregaram na manhã desta segunda-feira (9) no Departamento de Migração de Pedro Juan Caballero, para agentes da Polícia Federal (PF), o brasileiro Edson Maradona Maia. Acusado de tráfico de drogas e de fazer parte do Primeiro Comando da Capital (PCC), ele foi preso na última quinta-feira (5) durante uma Operação Departamento de Investigações Criminais da Polícia Nacional no bairro Jardim Aurora.

No momento da prisão Maia apresentou documentos falsos em nome de um médico formado em Dourados e que está fazendo residência médica em Curitiba. O médico entrou em contato com jornalistas de Dourados, informando que estava havendo algum engano e a Polícia Federal foi avisada e passou a investigar o caso junto com os policiais do Paraguai.

Nesta manhã, Maia que já tem uma condenação por tráfico de drogas em Minas Gerais foi expulso do Paraguai por estar em situação irregular naquele país e agora vai cumprir a pena a que foi condenado no Brasil e também foi indiciado por uso de documento falso, na sede da Polícia Federal em Ponta Porã.

O médico que teve o documento usado pelo traficante disse que perdeu a carteira de identidade em 2017 e que foi informado por amigos de Dourados sobre a prisão de uma pessoa usando os documentos dele.

Ele contou também que foi procurado na semana passada por agentes da Polícia Federal e está trabalhando agora para “limpar” o nome dele e não ter nenhum prejuízo com a justiça.