O brasileiro foi assassinado na tarde desta sexta-feira. (Foto: Divulgação)

A Polícia Nacional do Paraguai confirmou há pouco que o fazendeiro brasileiro Adilson Belo dos Santos de 63 anos, sequestrado na madrugada de hoje por um grupo de homens armados, foi executado. Belo, a esposa dele Livrada Romero de 47 anos e um peão da Estância Belo na localidade de Cadete Boqueron em Capitan Bado, foram levados para uma mata da região.

Os sequestradores libertaram o filho do agricultor para que ele providenciasse os 100 mil dólares que tinham sido exigidos como resgate, a polícia foi avisa e fez diversas buscas pela região.

Segundo o subcomissário da Polícia Nacional do Paraguai, Hugo Sosa, os sequestradores escutaram o barulho do helicóptero da Força Tarefa Conjunta, que estava fazendo as buscas, e atiram no brasileiro e fugiram. A esposa de Belo, Livrada Romero e o peão da fazenda também fugiram com medo de ser executados também.

Meios de comunicação do Paraguai atribuem o crime a membros do Exército do Povo Paraguaio O EPP que vem fazendo “incursões” contra fazendeiros brasileiros na região. Como sempre o EPP não assume os atentados e nem desmentem as suspeitas.

A Polícia Nacional ainda não informou quando o corpo do brasileiro será levado para Capitan Bado, onde o filho, a esposa do fazendeiro e os funcionários das propriedades rurais e outras testemunhas devem ser ouvidos.