Os dois presos são acusados de participar do sequestro e morte do brasileiro. (Foto: Divulgação)

Em investigação e operações na caça aos autores do sequestro e morte do pecuarista brasileiro Dilson Belo dos Santos, ocorrido na última sexta feira na região de Capitan Bado, fronteira com o Brasil por Coronel Sapucaia, investigadores da Divisão da Narcótica apoiado por outras unidades policiais em várias buscas e apreensões na região, na manhã desse domingo (28) durante busca e apreensão em duas residências, foram presos o brasileiro Vanderley Rodrigues Lopes que usava documentação paraguaia e o paraguaio Ramon Elvio Baez Miranda.

Com a prisão da dupla, os policiais apreenderam 200 quilos de maconha, pistola calibre 9 milímetros, uma escopeta calibre 12, revólver calibre 44, balança de precisão, o veículo Gol placas HRN-5581/MS de Aral Moreira e sete aparelhos celulares além de 15 milhões de guaranis (equivalente a R$ 10 mil e R$ 5 mil dinheiro.

A busca e apreensão foi acompanhada pelo comissário de polícia Silvio Horácio Canteiro, chefe de ordem e segurança cidadã da Polícia Nacional do Paraguai em Pedro Juan Caballero e pelo promotor de Justiça Hernán Mendoza que determinou encaminhamentos dos presos para a comissária de polícia da cidade de Capitan Bado e o que foi apreendido encaminhado para o Ministério Público.

Conforme informações apuradas pelo jornal Porãnews, equipes da Polícia Nacional do Paraguai cercam a região em busca dos autores do sequestro da família brasileira e posterior execução do pecuarista na região de Capitan Bado. Os investigadores procuram identificar ainda se os autores seriam quadrilheiros que atuam na região ou integrantes do grupo criminoso EPP (Exército do Povo Paraguaio) que nos últimos dias tem lançado constantes ameaças e ataques contra agropecuaristas e empresários brasileiros na região dos estados de San Pedro e Amambay.

Fonte: Porãnews