Policiais paraguaio e argentino destroem plantação de maconha na fronteira. (Foto: SENAD)

A SENAD, o Ministério Público e as Forças Armadas de Paraguai, em conjunto com a Agência Federal de Inteligência (AFI) e a Gendarmaria Nacional, concluiram a primeira fase da Operação Conjunta de Repressão às Drogas denominada INTEGRAÇÃO. Com a ação, foi possível incursões aéreas e terrestres em áreas florestais do Departamento de Itapúa, onde traficantes de drogas produzem maconha destinada ao mercado argentino.

Após dez dias de intensas incursões, o grupo operacional conseguiu erradicar um total de 163 hectares de maconha plaantada na região. O plantio possibilitaria a produção final de 489 toneladas coletadas nos 28 acampamentos de Narcoprodutores.

Em um dos últimos dias de operação, a ministra da Segurança da Argentina Patricia Bullrich e o ministro da SENAD Arnaldo Giuzzio foram à área de atuação. Ambos destacaram a eficácia desse tipo de ação conjunta para a região, pois em poucos dias foi possível cancelar mais que o dobro do que é apreendido na Argentina em um ano de gestão.

No nível de prejuizo econômico ao crime organizado, estima-se que os lucros perdidos com a destruição de drogas sejam de aproximadamente 15 milhões de dólares no Paraguai, considerando o preço de 30 dólares por quilo. Enquanto isso, na Argentina, o preço por quilo é de cerca de 800 dólares, para que o prejuizo econômico atinja 394 milhões de dólares.