Militares paraguaios desembarcam na Linha Internacional para reforçar a segurança.(Foto: Divulgação)

Centenas de militares paraguaios reforçaram esta semana a segurança em toda a extensão de fronteira principalmente com o Mato Grosso do Sul para tentar evitar a circulação de pessoas entre os dois países e conter a contaminação pelo covid 19. As autoridades sanitárias daquele país estão preocupadas com o aumentos dos casos principalmente m Ponta Porã e Dourados e até mesmo a comercialização de produtos que estava sendo realizada na Linha Internacional a chamada “venda no arame” foi proibida.

O endurecimento da fiscalização desagradou os comerciantes que ontem fizeram uma carreata em Pedro Juan Caballero cobrando a reabertura da fronteira a alegando que as medidas sanitárias adotadas pelo presidente Mário Abdo Benitez vai levar a maioria das empresas da cidade a falência.

Na manhã desta quarta-feira foi possível observar novamente a movimentação de militares na mudança de turno indicando que o fechamento da fronteira em seus principais pontos de acessos a Ponta Porã vai continuar.

A medida também objetiva bloquear o avanço da doença, evitando assim um possível colapso fragilizado setor de saúde do Paraguai que não possui estrutura suficiente para enfrentar um surto do coronavírus.

O Ministério da Saúde do Paraguai, divulgou que durante os 84 dias de quarentena houve 1.013 casos de Covid-19 confirmados, com 11 mortes e 498 pacientes recuperados e consideram a situação sob controle sendo um dos países com melhores resultados no enfrentamento a pandemia em todo o mundo.