Várias viaturas estão em frente a casa do prefeito. (Foto: Divulgação)

Homens da Polícia Nacional do Paraguai estão em frente à casa do prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo e aguardam para leva-lo para o Ministério Público onde será decidido onde ele cumprirá a medida de quarentena que foi imposta a ele por ter cruzado ontem a Linha Internacional e permanecido por algum tempo em Ponta Porã e voltado para o Paraguai. Ele teria ido acompanhado da esposa na casa da sogra dele em virtude do Dia das Mães

Acevedo teve a prisão preventiva solicitada depois que imagens dele discutindo com um integrante do Exército que fiscaliza fronteira entre o Brasil e o Paraguai rivalizaram na internet causando a revoltada população paraguaia que está cumprindo as medidas sanitárias impostas pelo decreto presidencial em vigor no país para impedir a propagação do covid 19. A medida obriga que todas as pessoas que ingressem no país neste precisam cumprir a quarentena o que não foi feito por Acevedo.

Na noite de domingo policiais e autoridades do judiciário estiveram na casa de Acevedo que não foi encontrado. Mas logo depois que a comitiva deixou o local ele foi visto na sacada de um escritório que mantém na cidade e pouco depois retornou para casa.

Em Pedro Juan Caballero não possui nenhum albergue destinado a quarentena e por isso existe a possibilidade dele ser levado para Ciudad Del Este ou Concepción, mas advogados que assistem a família Acevedo trabalham para que ele possa cumprir o período de quarentena em casa. Outras pessoas que acompanhavam o prefeito não tiveram a mesma medida aplicada contra eles.