O resgate do corpo foi feito somente na manhã deste sábado. (Foto: Divulgação)

Policiais paraguaios acompanhados por Edith Belo, filho do fazendeiro Adilson Belo dos Santos de 67 anos, encontraram o corpo do brasileiro que foi sequestrado na manhã de ontem e assassinado no final da tarde, por homens que pediam 100 mil dólares de resgate. O corpo estava em uma mata fechada próximo a uma região montanhosa na Colônia Pira’u distante vários quilômetros do local do sequestro.

Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, o corpo de Belo apresentava feridas causas por armas de fogo e nas proximidades foram encontradas diversas capsulas de pistolas 9 milímetros, armas usadas no crime.

O fazendeiro brasileiro Adilson Belo dos Santos de 63 anos, tinha sido sequestrado na madrugada de ontem por um grupo de homens armados, que invadiram a Estância Belo na localidade de Cadete Boqueron em Capitan Bado, e levaram além da vítima, a esposa dele Livrada Romero de 47 anos, o filho Edith e um peão.

Os sequestradores libertaram o filho do agricultor para que ele providenciasse os 100 mil dólares que tinham sido exigidos como resgate, a polícia foi avisa e fez diversas buscas pela região.

Segundo o subcomissário da Polícia Nacional do Paraguai, Hugo Sosa, no final da tarde de ontem os sequestradores escutaram o barulho do helicóptero da Força Tarefa Conjunta, que estava fazendo as buscas, e atiram no brasileiro e fugiram. A esposa de Belo, Livrada Romero e o peão da fazenda também fugiram com medo de serem executados também.

Dezenas de policiais estão realizando buscas por terra e com a ajuda de um helicóptero na tentativa de encontrar os sequestradores, mas a geografia da região com montes e mata fechada está dificultando o trabalho dos policiais.