Conhecido como Animal do PCC, Genaro pode estar envolvido em outros crimes. (Foto: Arquivo)

A Polícia Nacional do Paraguai deve dar detalhes nesta segunda-feira (9) de como andam as investigações do caso do assassinato do estudante Alex Zioli Areco Aquino (14) raptado, torturado e morto na madrugada do último dia 23 de novembro na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, cujo corpo foi encontrado em um galão plástico no último dia 5 nas proximidades do Rodoanel em Ponta Porã.

O principal suspeito do crime o brasileiro Genaro Lopes Martins se entregou para as autoridades paraguaias depois da prisão da mulher dele, Diana Clavel Pimentel e o cunhado o adolescente D.G. Uma terceira pessoa que foi detida durante a semana foi liberada depois de prestar depoimento.

A novidade no caso é que uma testemunha que presenciou a execução de Alex estaria recebendo ameaça de morte e estaria sobre proteção policial. Outros envolvidos no caso teriam ameaçado a testemunha para que ela desmentisse o que falou para a polícia ou mudasse a versão.

Genaro conhecido como Animal do PCC, também estaria segundo o site Porã News envolvido no desaparecimento do vendedor de joias Roney Fernandes Romeiro (35), que na manhã do dia 18 de agosto deste ano transitava pela avenida Presidente Vargas a bordo de um veículo da marca VW-Gol, cor branca quando foi raptado por vários homens armados que estavam com uma caminhonete.

Até hoje o corpo de Roney não foi encontrado a polícia trabalha agora que Genaro tenha sido um dos autores do crime. Os dois casos sequem sendo investigados por policiais do Brasil e do Paraguai.