O Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) emitiu na nota na noite desta quarta-feira falando a ação da Polícia Federal que na manhã de hoje desencadeou a Operação Vostok que já prendeu mais de dez pessoas envolvidas chamado Escândalo da JBS.

Azambuja chegou a ter a prisão preventiva pedida, mas a prisão dele foi negada pelo ministro responsável por autorizar a operação. Ele disse que sempre esteve à disposição da Justiça e que em momento algum foi chamado para depor ou prestar esclarecimentos e que isso só aconteceu agora às vésperas da eleição.

Leia a nota:

Há um ano e meio me coloquei voluntariamente à disposição da Justiça para prestar os esclarecimentos necessários sobre este caso. Infelizmente, até o dia de hoje, jamais fui convocado pelas autoridades constituídas para apresentar minha defesa às acusações da delação mais questionada do país.

Mesmo respeitando as decisões do judiciário, não posso deixar de registrar a extemporaneidade de uma operação policial que ocorre a apenas 20 dias da eleição de forma intempestiva e midiática sem, contudo, a ocorrência de nenhum fato novo na tramitação do inquérito.

Estamos tomando as providências legais para reverter a prisão temporária do meu filho Rodrigo, que sempre esteve disponível e, até então, também sequer foi chamado a prestar depoimento.

Em respeito à população de Mato Grosso do Sul, continuo cumprindo normalmente a dupla jornada como governador do Estado e candidato à reeleição.

Tenho fé: a verdade prevalecerá.

Reinaldo Azambuja

Governador do Estado de Mato Grosso do Sul

Campo Grande, 12 de setembro de 2018.