O crime teria sido motivado por ciumes . (Foto: Adilson Domingos)

A Polícia esclareceu o assassinato do indígena Juninho Abraão da Silva cujo corpo foi encontrado em um poço desativado nas proximidades da reserva indígena Jaguapiru. Inicialmente foi identificado e apreendido um dos autores, adolescente de 16 anos.

Em seguida foi preso o segundo envolvido, Maicon Oliveira de Souza de 20 anos e que também confessou o crime. A investigação revelou que a motivação do crime seria passional, pois Maicon teria ciúmes de sua esposa, por suspeitar que poderia haver algo entre ela e a vítima.

Com essa imaginação, ele combinou o crime com o adolescente e na primeira oportunidade surpreenderam Juninho o matando com murros, chutes e pauladas. Durante todo o espancamento a vítima implorava para não ser morta.

Com Juninho aparentemente morto, a dupla o arrastou por cerca de 400 metros e o jogou no poço desativado. Posteriormente o adolescente retornou ao poço na região da Pedreira, próximo a Aldeia Jaguapiru, já no município de Itaporã e constatou que a vítima ainda estava viva, mas não se importou e deixou o local.

Rastros de sangue levaram um líder indígena que passava pela região até o corpo da vítima e a polícia foi acionada. Equipes do SIG da Polícia Civil trabalharam no caso que acabou esclarecido após a apreensão do adolescente.