A polícia acredita que o armamento e os explosivos seriam usados em assaltos a bancos no Brasil e no Paraguai. (Foto: Divulgação)

Depois de um longo trabalho de investigação, o Serviço de Inteligência do Departamento de Investigações de Fronteira (DOF) apreendeu na manhã deste domingo (9) uma grande quantidade de armas e explosivos que estavam escondidos em uma chácara na zona rural de Ponta Porã. Entre o material apreendido estão fuzis, pistolas, escopetas, grande quantidade de munições, carregadores, granadas e explosivos. Todo arsenal estava enterrado e segundo os investigadores seria usado em uma grande ação do crime organizado em cidades da fronteira entre o Brasil e o Paraguai.

Parte do das armas e do explosivo também seria enviado para o Rio de Janeiro e para o nordeste em uma caminhonete blindada onde um compartimento estava sendo preparado para esconder o material.

As investigações começaram no final do ano passado depois que integrantes do Bonde do Maluco, liderado por José Francisco Lumes, o “Zé de Lessa”, que era considerado um dos marginais mais procurados do Brasil tentaram assaltar um carro-forte entre Caarapó e Amambai. A tentativa foi frustrada e depois de uma verdadeira “caçada” que envolveu policiais brasileiros e paraguaios os integrantes da quadrilha morreram em confronto com a polícia.

Os policiais da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira em Dourados, a DEFRON estão contabilizando todo o material apreendido e os presos ainda estão sendo ouvidos.