Marcos Neto chega para depor no Fórum de Glória de Dourados. (Foto:Oswaldo Duarte)

Marcos Fioravanti Neto, de 22 anos, disse em depoimento na tarde desta terça-feira (27) que pensou em queimar os corpos de Maiana Barbosa de Oliveira, de 20 anos e da filha do casal Dandara, de apenas um mês, em um terreno baldio ao lado da Feira Livre em Dourados. Neto foi ouvido pela delegada Paula Ribeiro dos Santos, da Delegacia da Mulher em Dourados, que foi até o Fórum de Glória de Dourados para ouvi-lo.

Em entrevista para o jornalista Osvaldo Duarte, da Rádio Grande FM, a delegada disse que o feminicída disse que matou a mulher, pois ela não aceitava o fim do relacionamento. Primeiro ele asfixiou a mulher e depois a golpeou no pescoço com uma faca.

Ainda segundo a delegada, o criminoso primeiro pensou em ficar com a criança, mas depois decidiu matá-la também já que tinha certeza que seria preso e a menina ficaria sozinha.

Ele então desistiu da idéia de queimar os corpos e deixou as duas em um colchão. Depois do crime ele tomou banho e roubou uma bicicleta e foi até Vicentina onde roubou uma moto e seguiu até Glória de Dourados onde tentou assaltar uma senhora e acabou preso pela Polícia Militar.

Neto negou que tenha usado droga no dia do crime e disse que não possui distúrbios psicológicos. “Ele pretendia chegar ao litoral e viver por lá sem ser descoberto”, disse a delegada.

Na manhã desta quarta-feira (28) Marcos Neto deverá ser enviado para uma cela da Penitenciária Estadual de Dourados onde deverá ficar isolado dos demais presos, já que as autoridades temem pela vida dele.