O acusado é considerado foragido pela polícia. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil de Campo Grande assim como a Militar, caçam o foragido de presídio e homicida Igor César de Lima Oliveira, 22 anos. Na noite dessa segunda-feira Igor assassinou a sangue frio e queima roupa o motorista de aplicativo Rafael Baron, de 24 anos.

Com investigações realizadas pelo GOI, depoimento da esposa e da mãe do homicida, a polícia definiu que o crime foi cometido por suposto ciúme. Conforme o delegado Ricardo Meirelles, da 5ª Delegacia, Igor estava com a esposa na Unidade de Ponto Atendimento – UPA, do Jardim Leblon, de onde por volta de 23h20 acionou o aplicativo 99 Pop para irem ao apartamento do casal, no Condomínio Reinaldo Buzanelli, Jardim Campo Nobre.

Os investigadores do GOI apuraram que durante a corrida, Rafael conversava com a esposa de Igor e fez três perguntas. As circunstâncias do crime puderam ser definidas a partir de depoimento da esposa de Igor que estava no banco de trás do carro e o marido ao lado do motorista.

Inicialmente Rafael perguntou sobre a tipoia que ela usava em um dos braços, ao que a mulher respondeu ter sofrido um acidente no trânsito. O motorista por sua vez, perguntou se foi de moto e, em seguida, se ela estava sozinha quando do acidente.

Com as perguntas, Igor fechou a cara e ficou quieto, afirma a mulher. Quando chegaram ao condomínio, o motorista perguntou a Igor se estavam no endereço correto, mas ele não respondeu e rapidamente desceu do carro. Segundo a esposa de Igor, ela ficou para trás, para pagar a corrida de R$ 8 em dinheiro, enquanto o marido entrava no apartamento da família, no térreo, entrando pela janela.

Ao entrar no apartamento a mulher encontrou o marido voltando, já de arma em punho. A mãe de Igor tentou segurá-lo, mas não conseguiu e assustada achando que seria o alvo, a esposa se escondeu no banheiro.

Igor César foi até o motorista e atirou à queima-roupa, atingindo a vítima que morreu no local com tiros no braço e pescoço e em seguida fugiu. A violência e banalidade do crime chocou além dos moradores no condomínio, policiais que atenderam o caso.

Igor César Lima é definido pelas policias como indivíduo perigoso e que havia sido condenado a cinco anos por roubo à mão armada em 2015. Ele está foragido desde o ano passado.