Carreta encontrada em depósito em Mundo Novo onde o cigarro era armazenado. (Foto: Divulgação)

A Polícia Federal deflagrou a Operação Teçá com alvos em três estados (MS, PR e RN), a qual tem por objetivo desarticular sofisticadas Organizações Criminosas envolvidas com o delito de contrabando. As Organizações Criminosas conseguiram cooptar um policial para auxiliar em suas atividades delituosas e possuíam significativa capacidade logística, a qual era utilizada principalmente para a introdução e o transporte de cigarros de origem estrangeira no Mato Grosso do Sul e Estados vizinhos com destino a outras localidades do País.

Estão sendo cumpridas 73 ordens judiciais expedidas pela 1ª Vara Federal de Naviraí/MS, sendo 40 mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão, com a participação de 130 Policiais Federais. O Exército Brasileiro e a Corregedoria da Polícia Rodoviária Federal colaboram nas ações vinculadas à deflagração da Operação.

As Organizações Criminosas possuem base territorial no Mato Grosso do Sul e articularam uma aprimorada rede para internação e transporte de cigarros estrangeiros no território nacional, os quais ingressam no Brasil pela região da fronteira com o Paraguai.

No curso da investigação, realizada entre os anos de 2018 e 2019, foram apreendidos pela Polícia Federal e outras forças, sempre em integração de esforços, 155 (cento e cinquenta e cinco) veículos utilizados para o transporte de cigarros de origem estrangeira, tendo sido presos 75 (setenta e cinco) indivíduos envolvidos em práticas ilícitas capitaneadas pelas Organizações Criminosas hoje desarticuladas.

Dentre as ocorrências, destaca-se a apreensão efetuada na cidade de Ivinhema/MS, no dia 15/06/2018, quando, em uma única oportunidade, de 11 (onze) carretas carregadas de cigarros de origem estrangeira foram apreendidas, tendo sido presos 09 (nove) motoristas em flagrante delito. Contabilizou-se, na ocasião, 1 milhão de maços de cigarros, avaliados, conjuntamente com os veículos apreendidos, em 10 milhões de reais. No total da investigação, o valor das mercadorias ilícitas apreendidas nas ações é de aproximadamente R$ 144.000.000,00 (cento e quarenta e quatro milhões de reais).

O nome da Operação “TEÇÁ” faz referência a ‘estado de atenção, vigilância’, no idioma guarani, em razão da grande rede de olheiros, mateiros e batedores utilizados pelas Organizações Criminosas, os quais monitoravam diuturnamente as atividades dos órgãos de fiscalização.

A Operação TEÇÁ, juntamente com outras operações de inteligência recentemente realizadas, as quais desarticularam estrutural e financeiramente Organizações Criminosas envolvidas em atividades delituosas de contrabando, aliadas a ações ostensivas nos rios e nas estradas situadas nas regiões fronteiriças vêm dificultando em muito a entrada de produtos ilícitos no território nacional, sendo fortes investidas contra o crime organizado na região.