Segundo informações da promotora Cristiane Mourão, do GAECO (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), responsável pela Operação Grãos de Ouro deflagrada nesta quarta-feira, a ação culminou com a prisão de 25 pessoas. A operação investiga a sonegação de impostos na comercialização de grãos, principalmente a soja no Mato Grosso do Sul.

Em coletiva para a imprensa hoje à tarde, ela informou que os presos estão funcionários da secretaria de Fazenda do Estado e empresários do ramo de venda de cereais. Também foram cumpridos 9 mandados em Chapadão do Sul, dois foram em Costa Rica e um em Itaporã. Pessoas também foram presas em Cuiabá, no Mato Grosso, uma em Rio Verde de Goiás, duas em Presidente Prudente (SP) e uma em Rodeio Bonito, no Rio Grande do Sul.

De acordo com o Campo Grande News, dos 132 mandados, a maioria foi executada em Campo Grande, incluindo a casa e o local de trabalho de um funcionário da Assembleia Legislativa.  Ao todo foram 33 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, 21 em Chapadão do Sul e 11 em Costa Rica. Os outros foram em cidades Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Goiás.

A fraude vinha sendo apurada há 2 anos, a partir de uma constatação da Secretaria de Fazenda. “A Sefaz denunciou a existência de um esquema de sonegação de impostos estaduais, principalmente ICMS e outros da comercialização de grãos produzidos em MS”, afirmou a promotora Cristiane Mourão.