Os presos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e receptação. (Foto: Divulgação)

Com apoio das delegacias de Fátima do Sul, Deodápolis, Juti, DEFRON, da Polícia Militar de Caarapó, Força Nacional e Canil da PM de Dourados, a Polícia Civil de Caarapó deflagrou na madrugada de hoje (18) a Operação Janus. Ao todo foram cumpridos 9 mandados de busca e apreensão em diversos endereços que, segundo as investigações, que já estavam em andamento há algum tempo e serviam como ponto de venda de entorpecentes e receptação de produtos furtados e roubados no município.

Durante a operação foram presas 3 pessoas em flagrante por tráfico de entorpecente e um homem que tinha um mandado de prisão expedido pela justiça 2013 e estava foragido também foi localizado e preso.

De acordo com a Polícia Civil, cerca de 50 policiais participaram da operação e além dos quatro presos, também foram recuperados celulares, televisores, relógios, joias, dentre outros objetos furtados e trocados por droga em pontos de venda de entorpecentes no município.

A operação levou o nome Janus, em referência ao período de fim de ano no qual nos encontrarmos, na medida em que segundo a mitologia romana, Jano (do latim Janus ou Ianus) era o porteiro celestial que presidia os começos e fins, sendo representado com duas cabeças, simbolizando os términos e os começos, o passado e o futuro, o dualismo relativo de todas as coisas, sendo absoluto somente a Divindade. Jano tinha duas faces, uma olhando para a frente e outra para trás.

Jano foi a inspiração do nome do primeiro mês do ano (janeiro, do latim januarius), o qual foi acrescentado ao calendário por Numa Pompílio (715-672 a.C.), sucessor de Rômulo, personagem histórico-mítico que, segundo Plutarco, teria fundado Roma em 21 de março.