De acordo com a polícia este tipo e golpe tem aumentado em todo o estado. (Ilustração)

Policiais civis da 1ª Delegacia de Campo Grande, com o apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, prenderam em flagrante uma mulher de 35 anos, integrante de organização criminosa dedicada a aplicar golpes utilizando-se do site de vendas OLX. Uma vítima procurou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário – Depac-Centro no último dia 18 relatando que tinha entrado em contato com um anunciante do site OLX sobre a venda de uma motocicleta CG Titan, 150 cc, anunciada pelo valor de R$ 6.200.

O homem, que se identificou pelo nome falso de Agnaldo, disse que a motocicleta estaria na posse de seu primo e que ele negociaria a transação, pois o suposto primo estaria lhe devendo dinheiro. Segundo a vítima, o suposto Agnaldo lhe pediu que, ao se encontrar com o proprietário da moto, dissesse que era seu ex-funcionário.Em seguida, o homem entrou em contato com o vendedor da motocicleta dizendo que seu ex funcionário iria lhe procurar para ver a moto anunciada e pediu que o vendedor se identificasse como sendo seu primo. Após visualizar a motocicleta, a vítima entrou em contato com Agnaldo e efetuou o pagamento, via transação bancária, para uma conta corrente da Caixa Econômica Federal indicada pelo estelionatário em nome de uma mulher.

Depois que o pagamento foi confirmado, a vítima não conseguiu mais contato com o suspeito, então procurou o proprietário da motocicleta, que alegou não ter autorizado ninguém a negociar em seu nome. As investigações revelaram que os golpistas copiavam o anúncio de venda de uma pessoa idônea, oferecendo o mesmo produto por um valor mais barato, e quando era procurado por um possível comprador, entrava em contato com o verdadeiro vendedor para pedir que ele se identificasse como sendo seu primo.

Desta forma, quando o interessado pela compra se encontrava com o real proprietário do produto, acabava acreditando na história contata pelo intermediário, e realizada a transação bancária diretamente para a conta corrente por ele indicada. A “dona” da conta bancária foi presa pelos crimes de estelionato e associação criminosa e relatou à Polícia Civil que os golpes estariam sendo aplicados por seu ex marido, que está preso, e que ela apenas lhe fornecia a conta bancária para o recebimento dos valores. Juntamente com a mulher, foi apreendida a quantia de R$ 3.050 que seriam da vítima. A Polícia Civil apurou que o dinheiro levantado por meio do golpe era usado para o tráfico de drogas, bem como para a manutenção de integrantes de facção no interior do presídio.