As marginais agiam á mando de um preso da PED. (Foto: Divulgação)

Policiais civis e militares de Fátima do Sul prenderam no sábado integrantes de uma quadrilha que agia a mando de um homem que estava preso na Penitenciaria Estadual de Dourados. No eles tinham invadido uma fazenda no município, levado um caminhão e feito um casal de 76 e 78 anos e a filha de 55 anos como reféns. As vítimas foram mantidas em uma mata entre Fátima do Sul e Dourados enquanto os marginais levavam o veículo para o Paraguai.

De acordo com a Polícia Civil os marginais chegaram na propriedade rural em um Voyage e renderam a família. Um neto do casal que tinha ido tomar café da manhã na fazenda encontrou o local todo revirado e notou a ausência dos parentes e do caminhão. Ele chamou a polícia e as buscas foram iniciadas.

Pelas câmeras de monitoramento das rodovias da região foi verificado que o caminhão já tinha sido levado para o Paraguai e iniciou-se então as buscas pelos reféns.

Em uma estrada vicinal da região foi preso um motociclista que acabou levando a polícia até o local do cativeiro. Ele estava indo buscar o homem que cuidada das vítimas. O casal e a filha estavam bastante assustados e foram libertados. O responsável pelo cativeiro fugiu, mas foi preso logo depois. Os policiais se esconderam e conseguiram prender o terceiro membro da quadrilha quando ele chegava no local do cativeiro.

Todos foram levados para a delegacia onde confessaram que receberiam R$ 2 mil pelo serviço. Eles também disseram que o mentor do crime era Eduardo de Jesus Oliveira de 25 anos o Cachoeira que estava preso na PED e que Gleidson de Oliveira Dantas de 29 anos, o Gordão também tinha participado do assalto.

Gordão foi preso quando chegava em Rio Brilhante para onde tinha fugido com a esposa e uma filha. Os outros suspeitos foram identificados como Danilo Ferreira Calixto de 23 anos, Thiago Rodrigues de Souza de 22 anos e Valdinei de Sousa Leitão de 41 anos.

Os marginais chegaram a ligar para as vítimas que estavam na delegacia oferecendo o caminhão de volta por R$ 10 mil. A polícia continua investigando para saber se mais alguma pessoa participou do roubo e se há mais presos da Penitenciária Estadual de Dourados envolvidos no crime.

Os suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de roubo majorado, sequestro, organização criminosa e extorsão.