O policial foi transferido para o Presídio Militar em Campo Grande. (Foto: Divulgação)

A justiça decidiu na tarde desta quarta-feira em Audiência de Custódia que o policial militar Dijavan Batista dos Santos de 37 anos, cabo lotado na Ambiental de Dourados vai continuar e preso e determinou a transferência dele para o Presídio Militar em Campo Grande. Dijavan matou na tarde de segunda-feira (8) o bioquímico Júlio César Cerveira Filho de 43 anos, no interior da sala 1 do cinema do Shopping Avenida Center.

Ontem mesmo o juiz da 3ª Vara Criminal de Dourados, Equiliell Ricardo da Silva, já havia convertido a prisão em flagrante em preventiva, segundo o magistrado, “para garantia da ordem pública e conveniência da instrução criminal”.

O crime de grande repercussão em nível nacional aconteceu durante uma sessão de um filme infanto-juvenil e a sala 1 do Cine Araújo estava lotada de crianças, adolescentes e adultos e teria acontecido por causa de uma cadeira usada de forma indevida pela vítima.

Preso logo depois do crime por policiais militares ele foi levado para o Batalhão da Polícia Militar e ouvido e foi instaurado um inquérito independente daquele que está sendo conduzido pela Polícia Civil de Dourados a cargo do 2º Distrito Policial.

Na segunda-feira Dijavan foi afastado de suas funções por ordem da Secretaria de Segurança Pública e ontem o juiz Equiliell confirmou este afastamento e pediu a suspensão de seus proventos como servidor público.