Um dos assaltantes foi ferido e chegou ser socorrido. (Foto: Pontal Online)

A mesma quadrilha que agiu na madrugada de quarta-feira (7), explodindo duas agências bancária em Chapadão do Sul aterrorizando os moradores na cidade, pode ter agido nessa quinta-feira (8) na cidade mineira de Frutal, distante cerca de 380 quilômetros de Chapadão do Sul. Equipes do GARRAS que atuam na Região do Bolsão, se dividem e já chegam no Triângulo Mineiro onde dois bandidos morreram em confronto com a polícia e dois estão presos.

A quadrilha fortemente armada explodiu a agência do Branco do Brasil de Frutal, ataque que deixou três mortos, sendo dois quadrilheiros e uma mulher que teve o carro roubado quando o bando fugia. Outros dois bandidos estão presos. A polícia investiga se a quadrilha também é a mesma que atacou uma transportadora de valores em Ribeirão Preto, na madrugada do dia 29 de outubro e um carro-forte na rodovia Abrão Assed, perto de Cajuru, na manhã da quarta-feira (7) além das agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal em Chapadão do Sul na madrugada. Em Frutal o bando chegou em pelo menos sete veículos e atacou a agência com explosivos. Policiais de todo o Triângulo Mineiro foram mobilizados e trocaram tiros com os bandidos. Dois deles acabaram morrendo e a informação ainda não confirmada pela polícia é que um deles seria de Ribeirão Preto.

O que leva a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul aos mesmos quadrilheiros, são as semelhanças dos veículos utilizados em Chapadão do Sul, definidas através de imagens de segurança. A quadrilha utilizava uma Hilux SW4 branca, abandonada em frente ao Banco do Brasil. Amarok cinza e que tinha explosivos e uma arma, encontrada próximo ao aeroporto.

Três roubados em Frutal. A Pick-up Robust branca (da Usina Cerradão) – abandonada próximo ao Pátio da Prefeitura, o Cobalt – abandonado próximo ao Cemitério e um Fiesta vermelho ainda não encontrado.

Polícia Federal

Embora policiais do GARRAS e BOPE ainda estejam na área do crime e parte segue para Minas Gerais, a investigação do ataque em Chapadão do Sul foi assumido pela Polícia Federal, por conta das agências pertencerem à União. Existem ainda a possibilidade de que a quadrilha seja a mesma que já agiu outras vezes em Mato Grosso do Sul.