Uma operação para desmantelar uma quadrilha de tráfico de armas e munições foi deflagrada no Rio de Janeiro e em Mato Grosso do Sul. A ação é desdobramento de uma investigação sigilosa que durou cerca de um ano, após inúmeras apreensões realizadas em conjunto pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos – Desarme – da Polícia Civil do Rio. A operação teve início na manhã de segunda-feira (3).

O inquérito policial conduzido pela Desarme identificou e indiciou cerca de vinte pessoas que fazem parte de uma grande organização criminosa que atua em diversos estados da federação. A quadrilha foi responsável pelo envio de milhares de munições e centenas de armas de fogo do Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro, nos últimos meses. O arsenal tinha como destino comunidades controladas por uma das maiores milícias e traficantes de drogas da capital fluminense.

A operação, coordenada pela Desarme e PRF, conta com apoio de diversas unidades do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e do grupo Garras da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. Mais de 80 policiais rodoviários federais, com o Núcleo de Operações Especiais (NOE), Grupo de Operações com Cães (GOC), Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) e operações aéreas, atuarão em conjunto com cerca de 160 policiais civis, no Rio e em Mato Grosso do Sul.

A ação tem como objetivo cumprir 13 mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão, no Rio de Janeiro. Em Mato Grosso do Sul, devem ser cumpridos quatro mandados de prisão, além de seis mandados de busca e apreensão. A Polícia Civil e a PRF conseguiram vincular ao grupo criminoso diversas apreensões nas quais o destino eram comunidades do Rio.