Vereadora Daniela defende geração de empregos em Dourados. (Foto: Thiago Morais/Arquivo)

A vereadora Daniela Hall (PSD) indicou a Prefeitura de Dourados que crie incentivos fiscais para que as empresas possam garantir a manutenção de empregos, que por conta da pandemia estão cada vez mais ameaçados. Daniela destacou a sugestão do senador Nelsinho Trad (PSD), para que os municípios criem o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico e Social (Prodes), que foi implantado por ele em Campo Grande quando foi prefeito. O senador fez a sugestão durante sessão online da Câmara na última segunda-feira.

“Com a experiência de dois mandatos seguidos de chefe do Executivo, o senador Nelsinho Trad apontou o caminho para estimular a geração de emprego e renda para Dourados, numa proposta que ajudou Campo Grande e que pode contribuir com o nosso município também”, sugere.

“Os números mostram que a iniciativa do então prefeito Nelsinho deu certo, já que o programa atraiu em Campo Grande 400 novas empresas o que resultou em investimentos de R$ 3,8 bilhões e geração de 38 mil novos empregos. Foi uma saída muito inteligente e que podemos trazer para a nossa realidade”.

Indicação

Recentemente a vereadora sugeriu ao município a isenção fiscal para a manutenção de empregos e propôs ainda a criação do Programa de Incentivo ao Combate do Coronavírus no município, oferecendo isenções fiscais para a fabricação de respiradores, máscaras, álcool em gel, e demais equipamentos e itens médicos necessários durante a pandemia.

A medida seria um estímulo para que gestores de indústrias possam modificar momentaneamente seu parque fabril para a produção de itens determinados pelas autoridades municipais, com destino à rede pública de saúde, que já enfrenta escassez de alguns produtos.

Entre os benefícios previstos, para as empresas que aderirem ao programa, está a redução de 100% do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). A indicação prevê ainda que o ISS (Imposto Sobre Serviços) dos serviços contratados pela indústria e afeitos a fabricação dos equipamentos de saúde seja de 2%. Outro benefício será a redução total das taxas e licenças municipais, além da suspensão de cobranças e prorrogação de parcelas do pagamento de todo os impostos, taxas e autuações municipais, pelo prazo de 12 meses.