Em Campo Grande, Marcelo Mourão busca neuropediatra para Dourados

-

O vereador Marcelo Mourão (Podemos) entregou pessoalmente, na sexta (15), na Secretaria de Estado de Saúde, um ofício reiterando proposições já feitas via Legislativo Municipal, onde solicita com urgência um neuropediatra para fortalecer o corpo clínico da PAI – Policlínica de Atendimento Infantil de Dourados.

O ofício é endereçado ao secretário de Saúde do Estado Flávio da Costa Britto Neto onde o parlamentar justifica que Dourados vive uma situação difícil por conta da “falta de profissionais médicos, em especial o neuropediatra, causando um atraso no desenvolvimento de nossas crianças”.

Marcelo reafirma a necessidade e pede o maior esforço para que, por meio do Governo do Estado, seja possível a contratação desses profissionais. “Precisamos dessa contribuição para fortalecer o corpo clínico da PAI e, para o pleno desenvolvimento social e cognitivo das crianças de Dourados e região”.

O problema, conforme foi apurado, vem de longe. Informações dão conta de que em 2018, o Ministério Público ajuizou uma ação civil pública em junho, requerendo a contratação de um neuropediatra e o município cumpriu no dia 14 de agosto daquele ano.

O vereador debate o assunto há tempos. Ao tomar conhecimento de que Dourados, a maior cidade do interior do Estado estava novamente sem esse profissional desde novembro de 2020, ele intensificou sua luta. Na época a justificativa era de que não havia especialista disponível no município.

Em fevereiro de 2021 o vereador apresentou indicação a prefeitura, solicitando a contratação do neuropediatra. A prefeitura abriu vagas em processos seletivos para esses profissionais, mas não houve interesse. A justificativa é de que o salário ofertado é muito abaixo do esperado.

Marcelo Mourão chegou a falar sobre sua tristeza ao se deparar com pais enfrentando verdadeiras maratonas em busca de assistência a seus filhos, principalmente aqueles pais de crianças com TEA (Transtorno do Espectro Autista) que dependem de assistência da saúde pública.

“Esse é um trabalho que faço questão de executar por conhecer e acompanhar bem de perto o drama de quem precisa de atendimento de profissional como o neuropediatra e, uma coisa eu prometo, não vou parar enquanto essa batalha não for vencida”, garante o vereador.