Juscelino pede parceria da prefeitura com associação voluntária que atua na saúde indígena

-

O vereador Juscelino Cabral (DEM), quer o fortalecimento de uma parceria entre a Prefeitura de Dourados e a Univida (Associação Humanitária Universitários em Defesa da Vida). 
A associação, que atua com trabalho voluntário voltado às comunidades indígenas da Reserva de Dourados e também da Amazônia, tem ações principalmente na área da saúde.
Fundada em 2012 pelo Padre Eduardo Lima, da Diocese de Jales, cidade de São Paulo, a Univida tem um trabalho junto à juventude. Isso envolve especialmente universitários, que dentro de um projeto para desenvolvimento e valorização profissional, aceitam voluntariamente prestar serviço à população indígena em condição de vulnerabilidade social.
A saúde pública dos povos indígenas que vivem em área urbana no município de Dourados é o ponto central do trabalho desenvolvido pela Univida, para transformar a vida de populações indígenas.
Para Juscelino é preciso cuidar do fortalecimento da missão, tratando do elo político/humanitário entre a Prefeitura de Dourados e a associação. Isso porque o trabalho que é desenvolvido atualmente na Escola Municipal Indígena Tengatuí Marangatú é essencial suporte à comunidade indígena.
A Diocese de Dourados também é importante parceira, através do Bispo Dom Henrique. O Diácono Erismar Pitarello, da Paróquia Bom Jesus, acompanha de perto a missão na Aldeia Jaguapiru. 
Além disso, os nove profissionais voluntários da Univida e o padre Eduardo Lima, da Paróquia Santo Expedito, da cidade de Fernandópolis, em São Paulo, ficam hospedados em alojamentos nas dependências do Centro de Formação da Diocese.
A Missão Univida é considerada a segunda maior missão humanitária da América Latina, levando atendimento voluntário de vários profissionais entre eles: médicos, dentistas, veterinários e acadêmicos das universidades parceiras.

VEJA TAMBEM