Um salto de nenhum caso de Covid-19 para 30 exames confirmados em indígenas na região de Dourados resultou em uma dura cobrança do deputado estadual Neno Razuk (PTB) à falta de ações do secretário Geraldo Resende. A crítica foi feita durante a sessão remota desta terça-feira (19).

Com base nos dados oficiais Razuk criticou a inércia da SES (Secretaria de Estado de Saúde) com relação às ações para evitar casos do novo coronavírus (Covid-19) nas aldeias indígenas.

“Desde o início da pandemia estamos cobrando que sejam feitas ações direcionadas aos povos indígenas , pedimos providências do secretário de Estado de Saúde, e há mais de um mês quando não tinha nenhum caso apresentei requerimento solicitando tais informações, o que não foi respondido até agora”, lembrou ele.

O parlamentar lembrou que há uma necessidade diferenciada com as populações mais vulneráveis. “Agora vemos os números crescendo em Mato Grosso do Sul e o vírus já chegou às aldeias. Precisamos saber o que está sendo feito para impedir que a doença se espalhe ainda mais”, cobrou, lembrando que já há casos inclusive de crianças nas aldeias.

Para o deputado, a Casa precisa receber informações reais e acompanhar as ações que estão sendo adotadas, o que também não está sendo feito. “Recebemos informações apenas sobre os números da doença. Live de campanha política não adianta, não vejo transparência, não há detalhes sobre as ações que estão sendo realizadas”, pontuou Neno Razuk, que recebeu denúncias de indígenas que estariam inclusive sem agentes de saúde nas aldeias em Aquidauana, além de falta de ações preventivas para as etnias que possuem diferentes costumes.

“Estão com medo de um genocídio que pode acontecer, enquanto o secretário está fazendo live, se promovendo. Não queremos só testes e números de contaminados, mas o que fazer para que isso não se dissemine ainda mais”, apontou Razuk que é presidente da Comissão de Desenvolvimento Agrário e Assuntos Indígenas e Quilombolas. Ele também integra a Comissão instituída pela Assembleia Legislativa para acompanhar a ações de enfrentamento ao novo coronavírus.