Elias Ishy presta contas em relação à COVID-19.(Foto: Arquivo)

O vereador Elias Ishy (PT) destacou algumas de suas ações frente à COVID-19 em Dourados. Em uma prestação de contas apresentada a sociedade, ele enfatiza a atuação na saúde, sem esquecer de outros seguimentos como a educação e o trato aos grupos em vulnerabilidade como mulheres, indígenas e o setor cultural.

Desde o início da pandemia, ele fala que a doença não são entidades democráticas, por isso realizou indicações como a obrigatoriedade de máscaras, pensando que em consonância a prefeitura deveria ajudar famílias mais vulneráveis. Em ações de prevenção, ele pediu a intensificação as inserções em mídias locais sobre a conscientização das pessoas sobre o tema e a suspensão de pagamento de empréstimo de servidores municipais durante crise.

Ishy acredita que valorizando os servidores públicos também melhora o atendimento à população, por isso também solicitou a prefeitura o pagamento de adicional de insalubridade aos profissionais de saúde. Conforme a indicação, a prefeitura atendeu parte das reivindicações e divulgou que os servidores da área que atuam no combate à Covid-19 terão o adicional. O parlamentar pediu ainda por condições de trabalho dos trabalhadores e que eles fossem representados no Comitê de Gerenciamento, como os Agentes de Saúde e de Endemias, para atuarem nas ações estratégicas.

Além disso, o vereador pediu informações para fiscalização de recursos destinados ao Hospital da Vida e protocolou um documento para dar agilidade no prazo de sanção de Projetos de Lei pelo Executivo. Ishy também cobrou transparência nos gastos, fiscalizando recursos, como o destino de R$ 36 milhões enviados pelo Governo Federal. Solicitou ainda informações e efetivação do Fundo de Combate ao Coronavírus e a implementação do Portal da Transparência somente para essa temática. A prefeitura implementou e, a partir dos dados, o vereador questionou o pagamento da folha com recurso de enfrentamento ao Coronavírus.

Sem esquecer de outras áreas prioritárias de sua atuação como a educação. Ishy alertou que a prefeitura deveria zelas pelos servidores, pediu kits de alimentos para estudantes serem adquiridos do PNAE, questionou as condições para o retorno das aulas na REME, mesmo de forma on-line e solicitou a manutenção de contratos, como também dos pagamentos de professores contratados e estagiários. O vereador também pediu a inclusão de indígenas no grupo de risco, apoiou a urgência em uma Lei para atender a Cultural e pediu informações da política local, além de questionar ações de combate à violência contra as mulheres durante a pandemia.

A Câmara ainda criou a Frente Parlamentar para fiscalizar recursos recebidos e destinados ao enfrentamento e combate à Covid-19, da qual Ishy é membro.