Na próxima quinta-feira (22), no Centro de Prevenção “Cássio Pereira do Nascimento” em Campo Grande, acontece mais uma edição do curso de culinária para pacientes em tratamento contra o câncer. Com o objetivo de promover a socialização, autoestima e despertar novas habilidades, a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems) ressalta o seu compromisso em promover atividades que despertem sentimentos positivos nos pacientes.

A professora e paciente do serviço oncológico da Cassems, Maria Rosa Paulino de Souza, explica que costumava ter uma alimentação irregular e o curso de culinária foi uma experiência para melhorar. “Muitos ingredientes que foram apresentados aqui, eu nunca sequer tinha comido. Participar deste programa fez eu ter contato direto com essa alimentação saudável e agora posso fazer com que ela se torne parte do meu dia a dia. Nesse processo de tratamento em que me encontro, é de suma importância, pois essa situação do câncer requer alguns cuidados para que o tratamento tenha sucesso”.

A coordenadora técnica de Assistência Social da Cassems, Solene Lopes Cardoso, conta que as aulas contribuem também para a autoestima e integração dos pacientes oncológicos. “As aulas de culinária contribuem para uma alimentação saudável, garantindo o estado nutricional adequado e o fortalecimento do sistema imunológico. Quando eles realizam as quimioterapias e radioterapias, ficam bem debilitados. Então, o estado nutricional é muito importante, pois com essa alimentação, os pacientes ficam fortalecidos para receber o tratamento devido”.

Para o nutricionista Gabriel Borges, a proposta do programa de prevenção é mostrar para os beneficiários em tratamento contra o câncer que os alimentos exercem um papel de extrema importância no organismo. “Nessas aulas ministradas para eles, estamos sempre tentando mostrar como o organismo responde à presença de alguns alimentos. Como um alimento com propriedades anti-inflamatórias, por exemplo, vai melhorar a saúde desses pacientes”.

O nutricionista explica que se um alimento é caracterizado como funcional, ele será efetivo apenas se estiver todos os dias no organismo do paciente. “Ao consumir o alimento uma vez por semana ou por mês, não vai ter o resultado esperado. Aqui, buscamos mostrar para os pacientes como utilizar os alimentos, quando e como armazenar. A nutrição tem a parte preventiva e não tem o objetivo de curar alguma coisa, a associação dietética ao tratamento é de extrema importância, que ela vise um processo preventivo”.

As recomendações em alimentação para uma pessoa com câncer, conforme Gabriel Borges, é que se tenha uma ingestão diária de alimentos de origem vegetal. “Frutas, hortaliças, grãos de uma forma geral e cereais são bem vindos”. Também, orienta-se para a diminuição ou até mesmo exclusão de alimentos ultraprocessados. “Os açúcares simples, como açúcar branco e farinha branca não são benéficos. Os cereais, como a aveia, linhaça e chia, devem ser ingeridos em sua forma integral, visando o teor de fibra desses alimentos”.