De acordo com o presidente da Comissão de Saúde, Elias Ishy, o relatório não foi satisfatório. (Foto: Assessoria)

Foi realizada na manhã desta sexta-feira (13), no Plenário da Câmara Municipal de Dourados, a prestação de contas sobre a intervenção na Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados). Além de representantes da Prefeitura Municipal, através da secretaria de Saúde, o presidente da Comissão Permanente de Higiene e Saúde, vereador Elias Ishy (PT), o Ministério Público Estadual, a Defensoria e a Comissão de Saúde da OAB (Ordem de Advogados do Brasil) participaram da reunião.

Durante a prestação, foi apresentado pelo diretor técnico da Funsaud, Rodrigo Aparecido Bezerra da Silva, dados, como despesas e licitações, a partir da intervenção, durante o período de seis meses. Porém, conforme o presidente da Comissão de Saúde da Casa de Leis, a apresentação não foi satisfatória.

“Nós esperávamos que, depois de seis meses de intervenção, eles apresentassem os principais problemas que foram encontrados e quais as soluções que se apontam”, comentou o vereador.

“O que nos interessa, o que interessa a população, são quais medidas foram tomadas. Esperávamos medidas práticas e nos foi apresentado apenas um relatório contábil. Ficou muito solta esta prestação de contas”, avaliou o vereador.

A secretária de Saúde, Berenice de Oliveira Machado, apontou que tratativas estão sendo realizadas entre a prefeita de Dourados, Délia Razuk (PTB), e a Procuradoria do Município, sobre a intervenção. Já o diretor técnico da Funsaud relatou que o Poder Executivo pedirá a prorrogação da intervenção, por mais cinco meses.

Os vereadores Alan Guedes (DEM), Olavo Sul (Patriota), Bebeto (PL) e Braz Melo (PSC) também participaram da prestação de contas.