A Cassems de Dourados busca novas tecnologias para atender às necessidades dos pacientes.(Foto: Divulgação)

O Centro Oncológico do Hospital Cassems de Dourados, que conta com uma equipe de dez médicos, entre eles, oncologistas clínicos, urologista, cirurgiões oncológicos, cirurgião de cabeça e pescoço, clínicos e cirurgiões gerais, cardiologista e radioterapeutas, incorporou um novo medicamento aos pacientes tratados na unidade pelo SUS para o tratamento do câncer de pulmão.

O projeto que existe desde janeiro de 2018, mas que agora está sendo incorporado ao SUS (Sistema Único de Saúde), visa o acesso a esses novos medicamentos que antes só eram disponíveis para planos de saúde e tratamentos particulares pelo seu alto custo.

Há a indicação específica para os pacientes com câncer de pulmão que possuam a mutação de EGFR. A pesquisa dessa mutação também será fornecida gratuitamente através de plataformas específicas e estima-se que até 17% dos pacientes com cânceres de pulmão carregam essa alteração.

Caso o paciente tenha a mutação, é candidato a utilizar tal medicamento. A classe do medicamento no meio médico (“TKI”- inibidor de tirosinaquinase) é capaz de inibir o crescimento tumoral, a ocorrência de metástases e angiogênese (formação de vasos sanguíneos pelo tumor), o que aumenta a morte programada das células tumorais. Tem como vantagem o melhor controle do câncer com menores efeitos colaterais comumente vistos em pacientes que recebem quimioterapia. “A unidade agora possui uma das melhores drogas disponíveis para o tratamento de câncer de pulmão no Mundo. É um ganho enorme e um marco para a população usuária do SUS nesse serviço’’ afirma o médico oncologista clínico Marcos Benini Magario – responsável técnico do serviço.

Atualmente, são realizados cerca de 1.500 atendimentos ambulatoriais mensais na unidade, o que a torna um dos maiores serviços públicos de tratamento do câncer no estado.