O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, integrante da comitiva do governador Reinaldo Azambuja juntamente com o prefeito Maurílio Azambuja, assinou, segunda-feira (05.08) a ordem de início de serviço das obras de construção da Maternidade Municipal de Maracaju. O evento aconteceu na Câmara Municipal, com a presença de vereadores, secretários municipais, lideranças comunitárias e população em geral.

A maternidade será construída em área anexa ao Hospital Soriano Corrêa da Silva, com custo estimado em R$ 1,5 milhão, sendo R$ 500 mil de emenda parlamentar do então deputado e hoje secretário de Saúde Geraldo Resende e R$ 1 milhão oriundos dos cofres estaduais, como contrapartida das emendas destinadas por Resende ao governo do Estado, na legislatura passada.

Segundo o prefeito Maurílio Azambuja, a maternidade de Maracaju será a mais moderna do interior do Estado e dará um salto de qualidade no atendimento de mamães e bebês. “Hoje nascem 70 crianças por mês em Maracaju e as mães merecem um lugar especial para esse momento sublime que é gerar a vida”, salienta.

Geraldo Resende também avalia que a nova maternidade vai representar um novo momento na saúde do Município. “A implantação desta unidade é resultado de uma parceria de trabalho nossa, com o governador Reinaldo Azambuja e prefeito Maurílio. É muito oportuna, pois Maracaju atende várias cidades vizinhas e a estrutura atual já não comporta a demanda”, destaca.

Frederico Felini, secretário municipal de Governo também diz que a nova maternidade melhorará os atendimentos. “Temos certeza de que a saúde pública de Maracaju vai dar um salto gigantesco de qualidade a partir da implantação da maternidade”, salienta. “Numa segunda etapa, também em parceria com o Estado e o Município, serão viabilizados os recursos para a compra de todos os equipamentos da maternidade”.

Estrutura

A maternidade terá 515,25 metros de área construída, com três salas pré e pós-parto com banheiro e jardim de inverno, três salas de enfermagem, duas salas de pós-enfermagem com banheiro, sala de utilidades, deposito de materiais de limpeza, copa de distribuição de alimentos, CPD, jardim de inverno coletivo, sala de espera e de apoio, recepção, sanitário masculino e feminino, dois consultórios ginecológicos uma sala de mamografia e sala de múltiplo uso.

Pronto Socorro

Outra importante obra da saúde em andamento em Maracaju é a construção do Pronto Socorro, cujas obras avançam com mais de 80% dos trabalhos executados. A unidade vai suprir a demanda atualmente absorvida pelo hospital municipal, já que Maracaju não possui uma unidade de saúde 24 horas.

O Pronto Socorro terá 1.200 metros quadrados de área construída e será dotado de 11 leitos de observação, além de toda a estrutura de urgência e emergência. No total, a obra custará R$ 2,6 milhões. Deste total, R$ 1,8 milhão são oriundos de emendas parlamentares do então deputado Geraldo Resende e do ex-senador Waldemir Moka (R$ 900 mil, cada) e R$ 800 mil são recursos próprios do Município.

Depois de concluídas as obras, o Pronto Socorro será equipado por meio de parcerias. Para tanto, será utilizada uma emenda parlamentar de Geraldo Resende, de R$ 500 mil. O governo do Estado vai investir mais R$ 700 mil e o Município, outros R$ 500 mil, totalizando um investimento de R$ 1,7      milhão.

A partir de gestões da Secretaria de Estado de Saúde, Maracaju também vai receber do Ministério da Saúde, recursos da ordem de R$ 1 milhão/ano, para investimento na Média e Alta Complexidade do Município, como resultado de emenda parlamentar de Geraldo Resende.

Ricardo Minella, Secretaria de Estado de Saúde (SES).